Mais de 100 Boeing 737 MAX de 18 empresas estão parados devido ao problema elétrico

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Os problemas da Boeing com o 737 MAX ainda estão longe de acabar, e segundo revelou a FAA hoje, mais de 100 jatos precisarão de reparos.

Imagem: Aka The Beav / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

O número de jatos parados e ainda pendentes de reparos foi divulgado hoje pela FAA, a agência de aviação civil dos EUA, que contabilizou 106 aviões 737 MAX que ainda não receberam o “recall”, segundo divulgou a Reuters.

O problema elétrico não afeta todos os Boeings 737 MAX, mas apenas algumas unidades em específico. No Brasil apenas uma aeronave da GOL foi afetada, por exemplo. O número total é maior que os 90 jatos divulgados inicialmente, e traz maior dor de cabeça para a Boeing, que conseguiu re-certificar o avião apenas no final do ano passado, após quase dois anos de proibições de voo depois dos dois acidentes fatais.

O problema desta vez envolve o caminho de aterramento elétrico para a unidade de energia de certos sistemas eletrônicos no avião. Uma mudança na forma como essa unidade foi instalada durante a produção no início de 2019 poderia ter levado ao problema e isso pode afetar a forma como a fonte de energia reserva funciona.

Dos 106 aviões afetados, segundo a FAA 71 estão registrados nos EUA. A agência também afirmou que “todos estes jatos estão parados enquanto a Boeing desenvolve uma proposta de reparo”.

Por ser relativamente simples, o problema deve ser consertado nas próximas semanas. As companhias aéreas que tiveram aviões paralisados são a American Airlines, Cayman Airways, Copa Airlines, GOL, Iceland Air, Minsheng Leasing, Neos Air, Shanding Airlines, SilkAir, Southwest Airlines, Spice Jet, Sunwing Airlines, TUI, Turkish Airlines, United Airlines, Valla Jets Limited, WestJet Airlines e Xiamen Airlines.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias