Manaus se tornará a quarta cidade do Brasil a receber o Jumbo dos ‘pousos especiais’

A cidade de Manaus está próxima de tornar-se a próxima a receber um voo do Boeing 747-200F da empresa Fly Pro, de bandeira moldava. Essa aeronave é a mesma que se tornou polêmica nas redes sociais e em grupos de aviação, por seus pilotos comandarem um pouso diferente do que se observa tradicionalmente, mantendo o nariz do jato elevado por mais de 20 segundos.

A programação do voo, atualmente constante da base da ANAC, é a seguinte:

DIA 31 DE JULHO: proveniente de Conakry, na Guiné, e fazendo o voo PVV-8752, o jumbo tem o pouso em Manaus previsto para 8h da manhã, no horário local.

DIA 01 DE AGOSTO: a decolagem para Acra, em Gana, acontece às 3h da madrugada.

A operação é cargueira, embora a carga ou a empresa contratante não tenham sido publicamente divulgadas. Florianópolis, Recife e São Paulo foram as outras cidades no Brasil pode esse esse jumbo passou.

Como um 747 da Moldávia tornou-se falado no Brasil

Desde o começo da pandemia, esse jumbo tem marcado sua história no Brasil com voos sob contratos diversos, inclusive com o governo, para transporte de mercadorias e EPIs. Em todo esse tempo, ele sempre vem chamando a atenção, desde que pousou pela primeira vez em nosso país, na cidade de Florianópolis. Em Santa Catarina, o piloto do Jumbo manteve o nariz do jato para cima por muito mais tempo do que o normal e isso chamou a atenção.

A manobra de manter o nariz no alto durante o pouso é chamada pela FAA de “Aerodynamic Breaking”, onde a aeronave se aproveita do arrasto para ajudar na frenagem. A repercussão na época foi muito grande, com pessoas elogiando e outras criticando a atitude do piloto, já que o manual da aeronave não prevê um pouso dessa forma e também não é evidente sua eficácia em jatos desse porte.

Na medida em que o tempo passava, vídeos foram sendo divulgados mostrando o jato fazendo o mesmo procedimento fora do país, sempre com a mesma repercussão nas redes sociais.

A manobra de pouso desses pilotos difere do que comumente se vê na aviação, quando os aviões buscam aterrissar com todos os trens de pouso com a maior brevidade possível, enquanto o freio é aplicado para a frenagem.

23 segundos de nariz no alto

O assunto é curioso e isso chama a atenção. Recentemente, o canal Golf Oscar Romeo do Youtube contou quanto tempo, efetivamente, o Jumbo fica com o trem de pouso dianteiro fora do solo.

O resultado foi de 23 segundos, o dobro da média (calculada com base em várias gravações disponíveis no YouTube).

Aproximação em Zigue-Zague

Semanas atrás, esse jumbo voltou aos noticiários, mas por um outro motivo: uma manobra realizada antes do pouso, em que o piloto executa um ziguezague na aproximação, a fim de aumentar a distância da aeronave da frente. O intento não funcionou e o 747 teve que arremeter para não causar um conflito de tráfego aéreo.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Companhia aérea afegã convoca apenas tripulantes homens para voltarem ao trabalho

0
A companhia aérea de bandeira do Afeganistão, Ariana Afghan Airlines, está se preparando para retomar os voos internacionais