Mecânico da American Airlines colocava cocaína na fuselagem de aviões

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Um mecânico da American Airlines do Aeroporto Internacional John F. Kennedy (JFK) foi indiciado na segunda-feira (6) acusado de importar mais de 25 quilos de cocaína, que foi recuperada de um compartimento externo de um avião, segundo um relatório do U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE).

Paul Belloisi, de 52 anos, foi preso em 5 de fevereiro após uma investigação da ICE Homeland Security Investigations (HSI) New York. Belloisi é acusado de conspiração para traficar cocaína com intenção de distribuir nos EUA. Á época, ele foi solto sob fiança de US$ 300 mil.

“Como alegado, Belloisi era o ‘homem de dentro’, que trazia mais de 25 quilos de cocaína da Jamaica para os EUA”, disse Peter C. Fitzhugh, agente especial encarregado do HSI no JFK. “Os esforços conjuntos do HSI e da CBP continuam a conter essas ameaças à nossa indústria da aviação, pelas quais perpetuam o movimento internacional do contrabando através de nossos aeroportos. O HSI continuará investigando e desmantelando persistentemente essas organizações criminosas”.

Como ele foi pego

De acordo com os arquivos judiciais, em 4 de fevereiro de 2020, logo após o voo 1349 da American Airlines chegar ao Terminal 8 da Baía de Montego, Jamaica, uma busca de rotina por oficiais da CBP revelou aproximadamente 11 tijolos de cocaína escondidos atrás de uma capa de isolamento em um compartimento externo da aeronave. Oficiais do CBP e agentes especiais do HSI iniciaram a vigilância visual da aeronave à distância.

Pouco antes da aeronave partir, Belloisi foi observado se aproximando da aeronave e entrando no compartimento onde a cocaína estava escondida. Os policiais confrontaram Belloisi depois que ele saiu do compartimento e o pegaram com a boca na botija e os tijolos de cocaína nas mãos. Belloisi também carregava um saco de ferramentas vazio para a aeronave e tinha recortes no forro de sua jaqueta, que eram suficientemente grandes para segurar os tijolos de cocaína.

Se condenado, Belloisi enfrentará uma pena máxima de prisão perpétua.

“Como alegado, este mecânico abusou de sua posição como funcionário de confiança e seu acesso a áreas sensíveis do JFK para participar da importação clandestina de cocaína”, afirmou o procurador dos Estados Unidos para o Distrito Oriental de Nova York Richard P. Donoghue. “Essas acusações servirão como um aviso de que as autoridades federais permanecem vigilantes na proteção da segurança de nossas fronteiras e no combate ao flagelo do tráfico internacional de drogas. Aqueles que tentarem envenenar nossas comunidades contrabandeando drogas através de nossos portos de entrada serão punidos”.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Agências de turismo terão que indenizar passageira pela falência da Avianca...

0
2ª Vara Cível de Mossoró determinou a duas operadoras de turismo, Voo Viajar Serviços Turísticos e FRT Operadora de Turismo, o pagamento