Início Aeroportos Memórias do terraço do Aeroporto de Viracopos

Memórias do terraço do Aeroporto de Viracopos

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Já fazia algum tempo que circulava por meus pensamentos a ideia de falar um pouco sobre a memórias que tenho do antigo e hoje não mais existente terraço panorâmico do Aeroporto Internacional de Viracopos (VCP), em Campinas (SP). Hoje, finalmente trago-as a você leitor após ter visto algumas imagens da época que deram um empurrãozinho nostálgico.

É verdade que não sou tão antigo a ponto de ter presenciado a época de ouro das numerosas conexões internacionais dos grandes aviões de passageiros de VCP, mas, os poucos anos nos quais pude visitar o terraço me permitem relembrar a experiência que o local proporcionava, e que, associada a algumas imagens, trarão alguma saudade aos que também passaram por lá e um pouco de conhecimento aos que nunca puderam conhecer.

Quem hoje passa pelo moderno aeroporto sem saber o local onde já existiu o terraço não tem nenhuma condição de imaginar onde poderia ter sido, então, eu começo explicando.

Atualmente, quem chega a Viracopos por via terrestre segue por uma longa avenida até o novo terminal de embarque e desembarque, localizado no extremo oposto da Rodovia Santos Dumont que dá acesso ao aeroporto. Ao final do trajeto pela avenida, ao lado direito, é possível observar o terminal de passageiros anterior, cujo pátio hoje serve apenas para estacionamento de aviões.

Pois bem! É aproximadamente no local deste terminal que ficava o outro terminal ainda mais antigo, que possuía todo o seu telhado como um enorme terraço.

Havia uma escada, próxima à entrada, porém, na parte de fora do terminal, permitindo o acesso à área superior, conforme a imagem a seguir, gentilmente disponibilizada pelo leitor Edouard Moreau.

Imagem: Edouard Moreau

A quem chegava lá em cima, por toda a volta não havia nada além de um pequeno anteparo de madeira para proteção contra quedas, de forma que a vista era 100% livre de cercas. Existiam também diversos bancos para que os visitantes se acomodassem para apreciar a visão.

Este pátio hoje utilizado apenas para estacionamento de aviões era no passado o pátio de embarques e desembarques de passageiros, portanto, todo o movimento acontecia ali, bem à frente do terraço, exceto no caso dos aviões cargueiros, cujo pátio e terminal de cargas já se localizavam onde hoje continuam.

Minhas memórias são de meados do final da década de 1990, quando por volta dos 9 aos 13 anos, talvez um pouco menos ou talvez um pouco mais, mesmo morando em outra cidade a cerca de 40 minutos de Viracopos, ia algumas vezes por ano passar agradáveis horas com minha família por lá.

Como Viracopos já havia perdido seus voos internacionais para Guarulhos, o movimento de passageiros era restrito a algumas operações domésticas, mas a experiência de observar os enormes cargueiros era o que mais causava entusiasmo neste então pequeno apaixonado por aviões.

Cheguei a ver alguns Boeings 727 amarelões da Itapemirim parados lado-a-lado no pátio, mas o que mais me vem à memória são os Jumbo da Polar Air Cargo e os DC-10 da FedEx, talvez os mais comuns de serem encontrados por lá nos dias e horários das esporádicas visitas que fazíamos.

Com o passar dos anos, um novo terminal (não o atual, o anterior) foi construído e o terraço deixou de existir. Por algum tempo, grandes vidraças ainda permitiam ao menos ver as operações, infelizmente sem ouvir os sons dos motores ou sentir o cheiro do combustível queimado. Mas, ampliações posteriores do terminal fizeram com que telhados passassem a bloquear a visão, e somente se viam pontas de caudas.

De lá para cá, nunca mais existiu uma área disponibilizada pelo aeroporto para visitantes observarem aeronaves.

Felizes aqueles que, antes de mim, puderam aproveitar a visão panorâmica dos Boeings 747, MD-11s, DC-10s e demais grandes jatos de passageiros que chegavam em Campinas vindos de muitas partes do mundo, mas feliz de mim e dos meus contemporâneos que ainda aproveitaram os últimos anos do terraço.

Com algumas concessionárias atualmente inaugurando mezaninos e áreas de observação nos aeroportos concedidos, será que o aeroporto com o maior movimento de cargueiros no Brasil um dia ganhará uma nova área para as famílias contemplarem o exclusivo movimento dos gigantes? Eu torço por isso todos os dias.