Compre este MiG-29 por apenas $4 milhões de dólares

Já pensou em voar num legítimo caça soviético que por muitos anos foi alvo de espionagem pelos EUA? Pois é, agora é possível por uma barganha de $4,6 milhões de dólares (R$17 mi).

O MiG-29UB Fulcrum fabricado em 1986 possui apenas 818 horas de voo e está a venda. Apesar da seu histórico não ter sido revelado pela vendedora da Flórida, a empresa Raptor Aviation, o avião provavelmente teve passagem na Força Aérea da Rússia e/ou da então Iugoslávia.

O número baixo de horas voadas e a disponibilidade de mais de 1000 horas antes de uma revisão pesada do motor fazem com que o preço seja uma barganha: um MiG-29K de última geração tem preço em torno de $20 milhões de dólares (R$74 mi).

MiGs não são tão raros assim nos EUA: O governo americano adquiriu diversos MiG-29 da Moldávia no final dos anos 90, mas os caças já eram estudados desde a reunificação da Alemanha no início da década.

Pilotos americanos como o Tenente Coronel Fred “Spanky” Clifton tiveram a oportunidade de voar o caça junto a pilotos da antiga Alemanha Oriental. Os EUA descobriram o Fulcrum em 1977 com imagens de satélite, e tudo indicava que era uma resposta ao desenvolvimento do F-16.

Desde o início o caça era conhecido pela sua super-manobrabilidade, que gerou preocupações pelos EUA. Mas para Spanky, o que o caça ganhava em manobrabilidade perdia em seu sistema de navegação e combate a longo alcance:

O MiG-29 não era o monstro de três metros de altura que foi criado durante a Guerra Fria. Era um bom avião, mas nada de mais quando comparado aos caças do ocidente de 4ª geração.

Ten Col Fred Spanky Clifton, USAF (res) | F-15, F-16 e MiG-29

O seu alto consumo da configuração bimotor, somado à pouca capacidade de combustível e ao fato de que os soviéticos temiam deserções, limitava o combate do MiG-29 a até 150 milhas náuticas (277km). Para Spanky, era um ótimo caça em combate próximo, mas que não conseguia ir muito longe ou vencer um combate fora do alcance visual (BVR).

Na América Latina o caça é operado pelo Peru, que está finalizando a modernização dos seus Fulcrums. O caça à venda nos EUA pode ser comprado através deste link.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Infraero firma contrato para realizar trabalhos no Aeroporto de Divinópolis

0
A Infraero firmou contrato com a Prefeitura Municipal de Divinópolis (MG) para a execução de diversos serviços no Aeroporto