Mitsubishi confirma paralisação do projeto concorrente do Embraer E2

Apesar de negativas iniciais, a Mitsubishi informou ao mercado nesta sexta-feira, 30 de outubro de 2020, que irá paralisar o desenvolvimento do SpaceJet, concorrente do brasileiro Embraer E2.

Avião Mitsubishi SpaceJet M90
Mitsubishi M9 – Imagem: CHIYODA I / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

No relatório de resultados do terceiro trimestre de 2020, a fabricante japonesa afirmou que devido à situação atual do desenvolvimento do jato regional e às condições do mercado, não sobra opção a não ser parar temporariamente as maiores atividades relacionadas ao SpaceJet, com exceção da documentação relacionada ao Certificado de Tipo.

Este certificado faz parte da homologação da aeronave, que conta com cinco protótipos da versão M90 que leva até 88 passageiros, os quais estavam nos Estados Unidos em campanhas de testes.

Já o menor M100 ainda não foi produzido, mas a Mitsubishi o projetou para levar até 68 passageiros, focado no mercado regional americano, que limita o peso máximo de decolagens dos aviões das subsidiárias terceirizadas regionais.

A expectativa da empresa é de que, com essa paralisação, sejam economizados em torno de 120 bilhões de ienes, equivalente a 6,5 bilhões de reais em valores atuais.

Avião Mitsubish SpaceJet M90
Mitsubishi M9 – Imagem: Matti Blume / CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Segundo a Mitsubishi, a família SpaceJet tem o objetivo de criar uma nova experiência do usuário em voos regionais, com muito mais eficiência de custos para as operadoras. O projeto buscará uma melhoria de performance de dois dígitos percentuais (mais de 10% de redução de custos), quando comparada a outras aeronaves da mesma categoria.

A cabine foi desenhada para ser mais alta e larga, permitindo mais espaço em bagageiros e reduzindo a quantidade de bagagens despachadas, o que é um benefício a uma grande parcela dos viajantes a negócios.

Apesar de ter um alcance menor do que seus concorrentes, como o E175, por exemplo, a japonesa aposta na economia para que emplaque seu modelo no mais competitivo mercado do mundo.

Com informações da Mitsubishi

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Embraer confirma que sofreu ataque de hackers e isola sistemas

0
A Embraer informou ontem que teve um de seus sistemas acessados por hackers, que vazaram informações da fabricante brasileira.