Mitsubishi considera reativar a produção do jato CRJ, que concorre com a Embraer

A volta do maior concorrente dos jatos regionais da Embraer pode próxima de acontecer, desta vez sob a marca Mitsubishi.

Divulgação – Air Nostrum

O conglomerado japonês, que é mais conhecido mundialmente pela fabricação de carros, mas que, desde o início da sua história, produz uma imensa gama de produtos, passa a olhar novamente para o nicho de jatos regionais. Sua incursão no mercado de aeronaves não é uma novidade, já que seu primeiro avião de sucesso, o Mitsubishi A6M Zero, foi o principal caça japonês na Segunda Guerra.

Outros projetos lhe sucederam ao longo dos anos, sendo que maioria deles era voltada para a aviação militar. Mais recentemente, a empresa voltou seu foco para a aviação comercial, lançando o MRJ (Mitsubishi Regional Jet), que seria um concorrente direto da família Embraer E2, mas cujo desenvolvimento está suspenso, assim como comprou o projeto CRJ da canadense Bombardier, que competia com os jatos E1 e E145 da fabricante brasileira.

A compra do projeto CRJ em 2019 visaria adquirir um know-how que a japonesa não tinha para a fabricação de jatos comerciais, assim como lhe prepararia para melhor concorrer com a Embraer e a Airbus, que também comprou um projeto da Bombardier, no caso o CSeries (que se tornou A220).

Pouco mais de um ano após a compra do projeto CRJ, a linha de produção foi suspensa por falta de encomendas, algo já previsto pela empresa japonesa à época da aquisição e, com a pandemia do Coronavírus, a perspectiva de reabertura desta fábrica no Canadá ficou ainda mais distante.

Acontece que o próprio contexto de mercado por trazer o CRJ de novo à vida, segundo reporta o site Leeham News. A reabertura da produção pode ser feita para atender a um pedido da SkyWest Airlines, regional americana que tem 100 encomendas firmes do MRJ – caso ele volte a ser desenvolvido e seja autorizado pela cláusula de escopo do sindicato de pilotos.

Avião Bombardier CRJ 550

Enquanto isso, a SkyWest demonstrou desejo no modelo CRJ550, que é a versão “executiva” do CRJ700. Nesta versão especial, feita sob encomenda da United Airlines, para a qual a SkyWest opera voos sob a marca United Express, são apenas 50 assentos, ante 70 da versão normal.

O CRJ550 foi desenhado para atender mercados específicos e premium, como aeroportos onde o Walmart tem sede e os executivos viajam com maior frequência.

A encomenda ainda não foi fechada e um número de aeronaves não foi revelado.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias