Morre um ás: Chuck Yeager, o primeiro piloto a superar a barreira do som

Chuck Yeager, um piloto americano de caça da Segunda Guerra Mundial que foi o primeiro a viajar mais rápido que o som em voo nivelado e cujas façanhas de piloto de teste foram imortalizadas no livro best-seller ‘The Right Stuff‘, morreu nesta segunda-feira, 7 de dezembro, aos 97 anos.

“É com profundo pesar que eu devo dizer a vocês que o amor da minha vida General Chuck Yeager faleceu antes das 9pm ET. Uma vida incrível bem vivida, o maior piloto da América, e um legado de força, aventura e patriotismo serão lembrados para sempre”, tuitou sua esposa Victoria Yeager por meio da conta do marido. Ela não especificou a causa de sua morte.

Charles Elwood Yeager nasceu em 13 de fevereiro de 1923 na pequena cidade de Myra, West Virginia, e cresceu consertando picapes ao lado de seu pai.

Ingressou no US Army Air Corps em setembro de 1941, três meses antes de os Estados Unidos entrarem na Segunda Guerra Mundial, e começou como mecânico de aeronaves antes de passar pelo treinamento de voo.

Com base na Inglaterra, Yeager começou a voar em missões de combate em um P-51 Mustang em fevereiro de 1944 e abateu um Me-109 alemão.

Ele foi abatido atrás das linhas inimigas em março de 1944, mas foi capaz de retornar à sua unidade na Inglaterra com a ajuda da resistência francesa após uma jornada angustiante sobre os Pirineus.

Yeager reservou seu lugar na história como piloto de teste quando quebrou a barreira do som no Bell X-1 movido a foguete em 14 de outubro de 1947, ganhando o título de “The Fastest Man Alive” (O Homem Vivo Mais Rápido).

Depois que o X-1 foi lançado da barriga de um bombardeiro B-29 a 45.000 pés (13.700 metros), o General Yeager voou a Mach supersônico 1.06, ou cerca de 1.130 quilômetros por hora:

O colega de Yeager, Chalmers ‘Slick’ Goodlin, outro piloto de teste da Bell Laboratories, certa vez descreveu o X-1 como uma “bala com asas”. Na verdade, foi modelado a partir de uma bala calibre .50, com asas curtas e nariz pontiagudo, permitindo que “perfurasse” o ar com mais eficiência.

A aeronave, apelidada de “Glamorous Glennis” em homenagem à primeira esposa de Yeager, agora está no Museu Nacional do Ar e Espaço em Washington DC.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias