Morre Herb Kelleher, fundador da Southwest e criador do conceito low-cost

Faleceu na tarde da última quinta-feira (03) Herb Kelleher, fundador da Southwest Airlines, a primeira companhia aérea de baixo-custo no mundo e que desencadeou a maior mudança na aviação civil mundial após a revolução do avião a jato.

Nascido em Nova Jersey em 1931, Herb se graduou em Direito pela Universidade de Nova Iorque, praticando direito na costa leste antes de se mudar para o Texas, com planos de começar sua própria empresa de advocacia.

Em 1967, juntou-se com seu cliente Rolling King e adquiriram a Air Southwest, com a idéia de vender passagens baratas em voos dentro do Texas. A estratégia de não fazer voos interestaduais era simples: fugir da regulação federal que controlava preços e tarifas.

Quando alguém vem para mim com uma ideia de reduzir custo, eu não digo sim logo de cara. Eu pergunto: qual é o efeito para o consumidor?

Herb Kelleher

Obviamente as concorrentes locais não ficaram satisfeitas e foram à justiça. Mas a ideia de Herb de vender passagem abaixo do preço tabelado prevaleceu: a justiça texana seguiu sua tradição “liberal” e não aceitou as alegações da Braniff e da Continental Airlines.

Porém a Southwest Airlines foi nascer apenas em 18 de junho de 1971, e começar a dar grandes passos em 78 com o Ato de Desregulação da Aviação Civil dos EUA, que extinguiu qualquer regulação não-técnica do mercado.

Herb e Bob Crandall, antigo CEO da American Airlines: rivais mas grandes amigos

De 13 aeronaves e 1 milhão de passageiros servidos até 78, a empresa aérea foi para 99 cidades atendidas com uma frota de 742 Boeings 737 e transportando 160 milhões de passageiros em 2018.

Tudo isso graças à ideia inovadora de Herb. Mas seu brilhantismo ia muito mais além disso: se destacava por liderar todo o time. Não foi por acaso que ficou à frente da companhia até 2008 em pleno vigor de seus 77 anos de idade.

Os seus empregados vêm em primeiro lugar. Se você trata seus funcionários direito, adivinha o que ocorre. Eles tratam bem seus clientes, que gostam e voltam, e isso faz os acionistas felizes. Começa com os funcionários e o resto se segue.

Herb Kelleher

Foi eleito diversas vezes o CEO do ano e até do século, capa de revista e figura constante em programas de entrevistas. Era amado pelos funcionários e admirado por qualquer empresário ou líder.

Low-Cost, de verdade!

O seu legado já foi consolidado: em 2017 as companhias low-cost transportaram 1,2 bilhões de pessoas, 30% de todos os passageiros no mundo.

O conceito de low-cost criado por Herb e Rolling é copiado hoje em todos os continentes do mundo, possibilitando que pessoas mais pobres viajem e tornando de vez a aviação acessível para todos.

Para isso a dupla fez o que ninguém ousou fazer nos anos 70: reduzir serviços e ser objetiva. A Southwest hoje tem quatro bases para alcançar isso:

  • Serviço de bordo existente, mas simples: um dos símbolos da empresa é o amendoim, que é servido juntamente com um biscoito e bebida (água ou refrigerante). O custo unitário destes itens é ridiculamente mais barato que um sanduíche quente ou outro salgadinho.
  • Sem mordomias: otimizar a aeronave para levar o máximo de passageiros em um limite mínimo porém aceitável de conforto. Sem classe executiva ou econômica premium. Entretenimento a bordo? Pegue o seu celular e conecte no Wi-Fi para ver TV, nada de telas no avião.
  • Operação padrão: frota padronizada em só um modelo (Boeing 737), economizando custos para treinamento e manutenção. Mercado menor? 737-700 / MAX 7. Rota densa? -800 ou MAX 8.
  • Sem conexões: Ir do ponto A ao B passando pelo C pode ser mais barato e muitas aéreas fazem isso para alimentar voos secundários. Porém isso pode trazer uma margem de lucro menor, afinal, por que um passageiro pegaria um voo mais longo e com parada se o direto é mais barato? A Southwest faz exatamente o contrário: evita ao máximo vender passagem com conexões. É praticamente impossível/inviável cruzar os EUA com ela.

Apesar da redução de custos em todas as áreas, Herb fez questão de cultivar algo na empresa: amor. Amor aos funcionários, ao Boeing 737, à empresa em si.

Não é só slogan: a Southwest é a mais bem avaliada pela Skytrax entre as low-cost nos EUA e foi eleita pelo portal Indeed e pelo Fortune 500 a segunda melhor empresa para se trabalhar nos EUA em 2018, atrás apenas do Facebook.

Nós iremos contratar alguém com menos experiência, menos formação e menor especialização ao invés de alguém com mais disso tudo mas com uma atitude podre. Porque podemos treinar pessoas, ensinar como liderar, ensinar como fazer um bom serviço ao cliente, mas não podemos mudar o seu DNA.

Herb Kelleher

Com toda certeza diversas pessoas só tiveram a oportunidade de voar pela primeira vez devido a este conceito único. Descanse em paz Herb!

Abaixo um trecho de sua entrevista falando sobre Estratégia e Cultura nas empresas:

Com informações da Assessoria de Imprensa da Southwest Airlines.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos