Motores do Embraer E2 e Airbus A220 têm vida útil reduzida pela FAA

A agência de aviação civil dos EUA, a FAA, emitiu um boletim de aeronavegabilidade alertando sobre a redução da vida útil dos motores que equipam o Embraer E2 e o Airbus A220.

PW1900G do primeiro E190-E2 da Widerøe
PW1900G do primeiro E190-E2 da Widerøe © Embraer

Apesar de não confirmado pela FAA, o principal motivo que levou aos testes que culminaram neste boletim foi o desligamento em voo de um dos motores de um Airbus A220 da Swiss. O avião seguia de Genebra a Londres e teve que pousar em Paris, numa parada não programada devido a uma anomalia no motor. Ressalta-se que o boletim também é voltado especificamente para o PW1500G que equipa o A220 (antigo CSeries) e o PW1900G que equipa os Embraer E190-E2 e E195-E2.

Os motores PW1100 que equipam os A320neo/A321neo, os PW1200G do japonês MRJ, os PW1400G do russo Irkut MC-21, além do PW1700 que irá equipar o E175-E2, não foram afetados pelo problema.

Avião Bombardier CS300 Airbus A220-300 airBaltic
Airbus A220-300 da airBaltic – Foto: Andreas Spaeth – Airways Magazine

A FAA afirma que uma corrosão no cone frontal do compressor de alta pressão pode causar rachaduras prematuras e posterior colapso do componente. No caso de colapso, as partes quebradas irão voar para dentro do motor, danificando-o e possivelmente atingindo o jato.

A agência pede para que as aéreas façam uma revisão da parte do manual que contém as limitações de tempo de uso dos componentes, para reduzir o seu tempo de vida útil, permitindo uma troca antes das rachaduras surgirem.

Porém, ainda não foi informado o quanto, em anos ou horas de voo, se deveria reduzir a vida útil das partes do compressor de alta. A agência estima que 18 dos 22 A220 operados pela Delta sejam afetados pelo problema.

No mundo, o A220 é operado pela Swiss, airBaltic, Korean Air, Air Tanzania e Delta. Já o brasileiro Embraer E190-E2 é operado pela Widerøe e pela Air Astana.

Outras agências como a brasileira ANAC e a européia EASA não se manifestaram ainda sobre o assunto.

Pela Assessoria de Imprensa da FAA

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos