“Não tenho tornozeleira, eu não tô preso”, diz Efromovich, da Avianca Brasil

Após ser detido durante uma nova fase da Operação Lava-Jato da Polícia Federal, Germán Efromovich, dono da Avianca Brasil, afirmou que está bem livre. A declaração foi dada durante o programa do Datena, na Rede Bandeirantes.

A equipe de TV foi até ao apartamento do empresário que, junto com seu irmão José Efromovich, fundaram a Oceanair (Avianca Brasil) e mais tarde compraram a Avianca da Colômbia. Os irmãos são suspeitos de envolvimento com um esquema de fraudes em licitações e pagamento de propina a altos executivos da Transpetro, subsidiária da Petrobras responsável pelo transporte de combustíveis por meio de navios e dutos.

Germán nega que tenha pago propina para favorecimento nos contratos com a petroleira, também nega que seja chefe da empresa, mas apenas um “beneficiário final”.

Ao ser indagado sobre sua prisão, Efromovich afirmou que não sabe se está preso, apontando que a Polícia Federal veio ao seu apartamento apenas para cumprir o mandato de busca.

“Não tenho tornozeleira, não tô preso, não tô nada”, afirmou o empresário, que inclusive levantou as calças para mostrar que realmente não estava de tornozeleira, que iria contra a decisão da justiça, que emitiu mandado de prisão preventiva domiciliar com o equipamento de rastreamento.

Até a data de ontem, o paradeiro dos Irmãos Efromovich não era conhecido, já que os dois teriam saído do Brasil após a parada das operações da Avianca Brasil em maio do ano passado, quando deixaram a empresa sem pagar fornecedores e funcionários.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Tripulantes da Azul aprovam o fim antecipado da redução de salário...

0
Veja como votaram comissários, copitolos e comandantes para o fim do regime de redução de jornada de trabalho e salários da Azul.