Não teve como salvar o Boeing 707 de Hamburgo e ele acabou da pior forma possível

Um histórico jato Boeing 707 está sendo desmontado no aeroporto de Hamburgo, depois de vários esforços para salvá-lo se provarem infrutíferos. Por seu lado, a administração do aeroporto disse que não poderia mais mantê-lo, levando-o finalmente ao desmanche.

Uma primeira sequência de fotos, compartilhada por Dirk Grothe, no Twitter, mostra a aeronave sendo rebocada desde sua posição num gramado do aeroporto de Hamburgo, até um pátio local.

Uma vez posicionado em sua posição derradeira, os operários começaram a avançar com equipamentos pesados. Uma enorme serra cortou as pontas das asas em poucos minutos. Após a remoção dos acessórios internos, a empresa especializada começou a serrar o Boeing 707 de matrícula D-ABOD – nas fotos, é possível ver o prefixo D-ABOB aplicado, embora não tenha sido com essa marca que ele tenha voado em seus tempos áureos.

No final da semana, a cauda já havia sido serrada e estava caída ao chão, comprovando aos mais incrédulos que aquele seria o destino definitivo da aeronave.

Leilão

“Isso é obviamente triste”, disse Jens-Peter Franz, da casa de leilões Dechow. Ele recebeu ordem do aeroporto para desmontar a máquina.

As peças individuais da máquina serão leiloadas em setembro, diz o leiloeiro, citando por exemplo, instrumentos do cockpit, peças grandes, como motores, a unidade da cauda. “O histórico Boeing 707 não estará mais visível no aeroporto na próxima semana. Várias dezenas de aeronaves são sucateadas em todo o mundo todos os dias, mas o Boeing 707 em Hamburgo é muito especial por causa de sua história”, completou Franz.

“Começaremos com lances iniciais muito baixos, simplesmente para que todos possam participar do leilão”, finalizou.

Histórico

O avião entrou em serviço em abril de 1960 e voou por 59.024 horas, tendo pousado 20.783 vezes. O jato esteve em serviço com a Lufthansa até 1975. Em seguida, serviu como sala de aula de aviação para mecânicos de aeronaves da Lufthansa Technik em Hamburgo.

Por mais de 20 anos, o Boeing esteve num canto do aeroporto e foi o pano de fundo para filmes. O corpo de bombeiros do aeroporto também usou a aeronave como objeto de treinamento. A Polícia Federal treinou cães de busca na aeronave. Enfim, mesmo após sua aposentadoria, ele ainda foi bastante útil.

No entanto, o tempo chega para todos. Pelo menos, a memória do D-ABOD ficará guardada por fotos e muitas histórias.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

gray airliner

ANAC prepara divulgação eletrônica de lista de capacidades das Organizações de...

0
A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) está trabalhando para divulgar as especificações operativas e a lista das capacidades