Nella Airlines publica comunicado sobre a aquisição da Amaszonas

Embraer 190 da Amaszonas, com concepção gráfica da pintura da Nella – Imagem: Nella Airlines

A Nella Airlines Group, controlada pelo brasileiro Mauricio Araújo de Oliveira Souza, anuncia que tem projetos ambiciosos para tornar, em breve, a empresa que leva o anagrama do nome da filha, Antonella, numa das principais da aviação no Brasil, América Latina, EUA e Caribe.

Após o presidente da companhia Amaszonas Línea Aérea, Sergio de Urioste, ter anunciado ontem (10) a negociação, hoje a Nella detalha que, com uma operação de US$ 50 mi, o grupo assume o controle acionário da boliviana e dá mais um passo para se estabelecer no concorrido mercado da aviação comercial e de carga da América Latina.

A empresa, que tem voos partindo de Guarulhos/SP, opera na Bolívia, Chile e Paraguai e deve retomar, com a aquisição, voos regulares para Rio de Janeiro, São Paulo e Foz do Iguaçu (operações interrompidas pela pandemia).

Há três semanas, Mauricio já tinha assumido o controle da venezuelana Albatros Airlines, que voa para Aruba, Costa Rica, Margarita e Punto Fijo e que está em fase de certificação 129 para voar no Brasil.

Avião Amaszonas Bolívia Embraer 190
Pintura atual da Amaszonas

Segundo a advogada Cristiane Secco, que intermediou a operação de ambos os lados – compra e venda -, sócia responsável pela área de M&A e especialista em aviação do Albuquerque Melo Advogados, a aquisição antecipa as atividades da Nella Airlines no Brasil. “Com essa aquisição, antecipamos a operação da empresa, já que o processo de certificação da Nella Brasil só deve ser concluído no primeiro trimestre de 2022”, afirma.

“Com 22 anos no mercado, a Amaszonas é a companhia aérea mais antiga em operação na Bolívia, possui a frota mais moderna do país e opera com voos internacionais regulares para o Brasil, Chile e Paraguai. Com essa aquisição, a Nella passa a atuar em um mercado que movimentou, antes da pandemia, cerca de 4 milhões de passageiros ao ano e que até o mês de junho de 2021 recuperou 78% dessa demanda”, salienta o CEO da Nella, em nota para o mercado.

E completa: “Seguimos firmes e confiantes no rápido aumento do volume de passageiros e cargas transportados pela Nella na América Latina, com grande conectividade. Estamos confiantes de que as sinergias resultantes desta operação irão manter a solidez do grupo neste momento de retomada e expansão da atividade.”

A boliviana Amaszonas tem uma frota de seis aviões Embraer 190, porém, somente alguns deles vinham operando em meio à crise da companhia.

Apesar da aquisição, a empresa continuará operando normalmente a partir da Bolívia, assim como ocorre com a Albatros a partir da Venezuela, e nada muda no processo de certificação da brasileira Nella Linhas Aéreas junto à ANAC no Brasil. Permanecerão como empresas diferentes pertencentes ao grupo Nella Airlines.

Com informações da Nella Airlines

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Donos de aviões estão revoltados com o aumento de produção da...

0
A retomada da aviação e as mudanças na economia global têm causado discussões, inclusive entre a Airbus e seus principais clientes: os lessores. ...