Nella assumirá o controle do grupo aéreo boliviano Amaszonas

Após diversas tentativas de salvar a Amaszonas em meio à crise da pandemia, a melhor opção foi a venda da empresa. Assim confirmou o presidente da companhia, Sergio de Urioste, que disse na terça-feira (10) que tomou a decisão de vender à empresa Nella Airlines todas as ações, que somam pelo menos US$ 40 milhões, reporta o Mercopress.

Nos últimos meses, o número de voos foi reduzido significativamente nas diferentes companhias aéreas bolivianas e uma ajuda mais contundente não veio do governo, então a opção que restou para manter os negócios em pé foi o repasse do controle.

Na opinião de Urioste, foi uma tarefa difícil mas o desempenho da Amaszonas estava péssimo. Ele informou que, nos últimos meses, vários aviões da empresa estavam totalmente parados. Some-se a isso o número de voos reduzidos para as diferentes rotas, o que ainda gerou atrasos no pagamento dos salários dos trabalhadores. A chegada de um novo investidor com o planos de reerguer a empresa, animou o executivo, que vê grande potencial no pós-pandemia.

Outros detalhes operacionais do negócio ainda não foram totalmente revelados, como rotas, frota, integrações da rede.

Imagem compartilhada por Mauricio Souza, fundador da Nella

De acordo com o noticiário boliviano La Opinión, o gerente da companhia aérea, Luis Vera, afirmou que apesar da decisão tomada, as operações não serão afetadas, nem os voos que foram programados para os diferentes destinos. Os empregos dos trabalhadores atuais também não serão comprometidos, garantiram os executivos.  

A Amaszonas atua na Bolívia há 23 anos, o que a levou a expandir suas rotas para diversos países e abrir uma filial no Uruguai. A Nella, por sua vez, planeja abrir uma empresa aérea no Brasil e tem trabalhando junto à ANAC para isso. Em paralelo, a companhia anunciou a aquisição da Albatros na Venezuela, recentemente.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias