Nella quer seu primeiro A320 no Brasil em agosto e fala sobre contratações

Durante entrevista ao jornalista Robert Zwerdling e seus convidados do Canal ASA, na noite deste domingo (20), os representantes da Nella Linhas Aéreas, Maurício Souza (CEO) e John Long (Diretor de Operações) falaram um pouco mais dos planos da empresa para o futuro. Ao longo de duas horas de conversa, os executivos responderam às perguntas dos convidados e do público.

Após pouco mais de um ano desde que se tornou conhecida, a Nella segue em processo de estruturação, mas agora com um discurso mais comedido e uma nova equipe de gestão. Muitos dos planos iniciais mudaram, mas as promessas são de novidades para os próximos dias.

Alguns temas tratados na conversa foram:

Cinco A320: A primeira novidade é que a empresa afirmou ter assinado a carta de intenção (LOI) com um lessor não revelado para a aquisição, em regime de arrendamento, de cinco Airbus A320, três dos quais chegando ao Brasil ainda nesse ano.

Origem dos A320: A origem das aeronaves também não foi divulgada, mas Long afirmou que o primeiro tem chegada prevista para agosto, o segundo para setembro e o terceiro para novembro. Os outros dois viriam no começo de 2022, junto com alguns turboélices ATR, que atuarão como alimentadores das demais rotas.

Os aviões seriam mais novos que os da Itapemirim, por exemplo. Long espera que esses três primeiros jatos passem pelo processo de customização (interna e pintura) em São José dos Campos, na Digex.

Boeing 737 que voou na GOL: A empresa também promete voar com sua divisão de carga, que seria operacionalizada com jatos Boeing 737-800F. Segundo Souza, um desses jatos pertenceu à GOL. A data de chegada da aeronave, no entanto, não foi informada, mas a empresa revelou que espera ter a divisão de logística homologada até o final de 2021.

Rotas: Esse é o atual grande mistério. A empresa não quis abrir detalhes de sua malha planejada, mas informou que contratou uma consultoria para apoiar na definição da rede. Long prometeu divulgar no momento certo.

Manuais: Para viabilizar a chegada das aeronaves e os voos, é necessário que a empresa passe primeiro pelo processo de certificação da ANAC. O processo, que passou alguns meses parado, foi retomado em 17 de junho, com uma reunião entre a equipe de DOV da aérea e o regulador da Agência Nacional de Aviação Civil. No entanto, maiores as novidades estão prometidas para a próxima semana. Segundo Long, na semana de 21 de junho, a Nella começará a enviar os manuais para a avaliação da ANAC.

Contratações: Após ter o Programa de Treinamento Operacional (PTO) aprovado, a empresa espera iniciar as contratações da tripulação e outros cargos técnicos. Esse processo corre em paralelo ao envio dos Manuais e ainda não tem uma data. Por hora, os executivos orientaram os candidatos a enviar currículos através do e-mail informado no site da empresa.

Origem dos Recursos: Questionado por um leitor, Maurício Souza disse que os recursos são provenientes de 10 investidores que aportaram na empresa.

Ida a mercado: A estratégia da empresa iniciante deverá ser focada em bilhetes mais baratos e receitas acessórias (ancillary revenues). Souza disse que quer trazer esse conceito de ultra-low-cost do mercado americano para o Brasil.

Assista à entrevista completa abaixo:

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias