Início História Nome do Aeroporto de Viracopos pode ter surgido após pancadaria em quermesse...

Nome do Aeroporto de Viracopos pode ter surgido após pancadaria em quermesse de igreja

Aeroporto de Viracopos
Imagem: Aeroportos Brasil Viracopos

A real origem do nome do Aeroporto Internacional de Viracopos parece incerta, com algumas hipóteses aceitas pelos comuns, mas postas em dúvida por historiadores. No ano em que o aeroporto de Campinas, um dos mais importantes do Brasil, completa 60 anos de operações comerciais, entendemos essas possibilidades.

Nas últimas seis décadas, o velho “campo de pouso”, como era chamado, tornou-se um dos principais pontos de conexão da América Latina. Na década de 1990, o aeroporto começou a despontar para o segmento de Carga Aérea Internacional. Enquanto isso, seu nome incomum tornava-se cada vez mais conhecido, ao passo que muitas perguntas surgiam “do por quê do nome Viracopos”.

Quebra-quebra na igreja

Não há uma referência clara à origem do nome Viracopos na literatura e nem alguma pista que possa levar até ela (ex. um nome de bairro, o sobrenome de alguém, etc.), portanto, a explicação deixa de ser científica e passa para a cultura popular. Por isso, nasceram duas possibilidades, nenhuma das duas comprovadas.

Uma delas dá conta de que, no início do século passado, uma quermesse na região onde está o aeroporto terminou em bebedeira e pancadaria, com barradas quebradas e danos à igreja que a organizou. O padre teria, então, começado a chamar o acontecimento de “viracopos” e o lugar onde ocorreu a confusão de “o local do viracopos”. Quando o terreno passou a ser usado como um campo de pouso, a fama teria sido passada.

Outra história é diferente e tenta seguir mais para o lado da lógica. Ela diz que, no local onde hoje está o aeroporto, havia um bar de tropeiros, que passavam por ali para descansar, conversar e beber. O ato de beber, ou de “virar o copo” teria dado nome do local e, depois, ao aeroporto.

Vista Aérea Aeroporto Viracopos 1960
Imagem: Arquivos Nacionais Brasileiros / Domínio público, via Wikimedia Commons

Histórico

O Aeroporto Internacional de Viracopos foi fundado na década de 30, mas homologado oficialmente apenas em 1960. Durante a Revolução de 1932, os paulistas usavam o local como campo de operações aéreas, sendo a pista construída à base de enxadas e picaretas. Depois de longo período de inatividade, em 1946 foram realizados trabalhos de limpeza e terraplanagem da pista, cuja extensão passou para 1.500 metros, oportunidade em que o campo de pouso começou a ganhar forma, principalmente com a construção do primeiro hangar em 1948 e a estação de passageiros em 1950.

Em 1957, teve início um profundo trabalho de construção e instalação de todos os equipamentos necessários para um aeroporto internacional, tais como a ampliação da pista para 2.700 m x 45 m.

Em 19 de outubro de 1960, através da Portaria Ministerial n.º 756, Viracopos foi elevado à categoria de Aeroporto Internacional e homologado para aeronaves a jato, passando a receber o movimento de voos internacionais de São Paulo até a inauguração do aeroporto de Guarulhos.

De lá para cá, várias reformas foram realizadas no aeroporto para que pudesse acompanhar a evolução da aviação. Apesar da perda dos voos para Guarulhos, Viracopos virou referência na movimentação de grandes aviões cargueiros.

A partir de 1995, a Infraero passou a realizar investimentos para implantação da primeira fase do Plano Diretor do aeroporto, com melhorias nos terminais de cargas e passageiros.

A primeira fase da obra foi entregue no primeiro semestre de 2004, quando o aeroporto passou a contar com novas salas de embarque, desembarque, áreas públicas e concessões comerciais. Em 2005 foi entregue a segunda fase da ampliação do terminal de passageiros.

Além da ampliação da infra-estrutura, a modernização dos processos de movimentação da carga e do desembaraço aduaneiro, desenvolvidos através de parceria junto à Receita Federal, tornou o aeroporto no principal centro de logística no cenário nacional.

Após décadas de baixo movimento de passageiros, no início da última década Viracopos tornou-se hub da Azul Linhas Aéreas, voltando a ver quantidades expressivas de pessoas chegando e partindo.

Por fim, em 2012 o aeródromo foi concedido à concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, medida que culminou na construção do novo e moderno Terminal de Passageiros com capacidade para até 25 milhões de pessoas ao ano, e que rendeu ao aeroporto campineiro diversos prêmios de reconhecimento pela eficiência e qualidade nos serviços prestados aos usuários.