Norwegian continuará apostando na Argentina apesar da crise

Em entrevista, o chefe da Norwegian Air Argentina, filial da aérea noruguesa de baixo-custo, destacou que o compromisso da empresa com o país latino é de longo termo.

“Está ficando melhor e melhor a cada mês, nós entregamos resultados sólidos com alta pontualidade e a Norwegian continua seu esforço na Argentina, como planejado” disse o chefe da empresa no país, Ole Christian Melhus.

A desvalorização do peso frente ao dólar após a notícia da liderança da chapa de Cristina Kirchner para aa eleições presidenciais tem sido motivo de preocupação para diversos setores da economia, que já enfrentavam uma recessão antes e durante o atual governo Macri.

E, obviamente, isso reflete na aviação, que tem maioria dos seus custos cotados em dólar. Em entrevista ao jornal noruguês E24, Ole disse que o compromisso da empresa com o país é de longo termo e acredita que tem muito ainda a acontecer na corrida eleitoral e que o mercado deve se acalmar nas próximas semanas.

“Uma mudança política na Argentina não necessariamente significa mudanças radicais nas políticas de aviação ou nas condições para as aéreas trabalharem. A Argentina tem uma longa história na aviação, e ao mesmo tempo a aérea estatal está sofrendo grandes perdas o que irá pesar a favor para que o governo continue a facilitar o crescimento e condições para as demais aéreas do país e seus empregos” disse o executivo.

Expansão na Argentina e voos para os EUA

Com a paralisação do MAX, os planos de expansão da Norwegian em todo o globo foram seriamente afetados. Sobrou até para a filial argentina, que teve que devolver um 737-800 para dar suporte na malha européia.

Mas o executivo destaca que mesmo com três aeronaves a empresa irá voar para Ushuiaia, extremo-sul do continente e considerado “fim do mundo.

“Isso fará com que a Norwegian seja a aérea que voe para os aeroportos comerciais mais ao norte e mais ao sul do globo” afirmou Ole.

Atualmente a empresa voa de Buenos Aires para Mendoza, Córdoba, Iguazú, Neuquen, Salta e Bariloche.

Os planos para os EUA são reais e Ole afirma que a empresa está caminhando para os voos diretos: “Após as recentes mudanças no acordo bilateral EUA-Argentina, estamos no processo de autorização para voar dos EUA para Buenos Aires”.

As autoridades argentinas já autorizaram as operações, só falta o equivalente americano autorizar. Os voos inicialmente serão feitos com o Boeing 787 Dreamliner.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos