Início Aeroportos Nova Terminal Aérea-SP: veja o que foi dito no webinar de apresentação

Nova Terminal Aérea-SP: veja o que foi dito no webinar de apresentação

Captura de tela do webinar, quando se explicava sobre o novo Point Merge System de Guarulhos

A tarde da última quinta-feira, dia 13 de maio, foi dedicada ao webinar TMA-SP Neo – a reestruturação da maior Terminal da América Latina, transmitido ao vivo pelo canal do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) no YouTube.

Caso você não tenha visto ou queira rever, pode fazê-lo no player a seguir, ou, logo abaixo do vídeo, acompanhar um resumo do que foi explicado ao longo da apresentação. O destaque fica para o interessante Point Merge System, explicado a partir do tempo 1:32:50 no vídeo.

A abertura do webinar ficou a cargo do Chefe do Subdepartamento de Operações (SDOP), Brigadeiro do Ar Eduardo Miguel Soares, que destacou o trabalho pioneiro e de alta qualidade realizado pelo efetivo do DECEA e de suas organizações.

Referindo-se especificamente à efetivação da Terminal São Paulo Neo no próximo dia 20 de maio, o Brigadeiro Miguel parabenizou o trabalho conjunto dos profissionais do DECEA, do Centro Regional de Controle do Espaço Aéreo Sudeste (CRCEA-SE), do Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA) e do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA).

“Para mim, é um prazer estar como Chefe do SDOP num momento tão importante para o SISCEAB. Ao longo dos últimos dez, quinze anos, houve algumas modificações na circulação aérea da TMA São Paulo, sempre com o objetivo de torná-la mais eficiente e com maior capacidade de absorver os tráfegos”, comentou o Brigadeiro.

Parte integrante do Programa SIRIUS Brasil, a implantação da TMA-SP Neo reestrutura o espaço aéreo mais movimentado e complexo do país, proporcionando a otimização da circulação aérea dos principais aeroportos de São Paulo: Guarulhos, Congonhas, Campinas e São José dos Campos.

“Foram cinco anos de grande dedicação ao Projeto, entre estudos, treinamentos, deliberações e entrega de produtos, como as 213 Cartas de Navegação Aérea, voadas pelo Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV). Um trabalho grandioso e que envolveu muito esforço do efetivo de todas essas organizações, empresas e instituições”, informou.

Com relação aos benefícios deste projeto, que serão aprofundados ao longo do evento, o Brigadeiro destaca que são muitos. “O grande objetivo é aumentar a capacidade do espaço aéreo para acomodação da demanda atual e a projetada para os próximos dez anos. Estes benefícios irão contribuir significativamente para a preservação do meio ambiente, através da redução de emissão de CO2 advinda, naturalmente da redução do consumo de combustível”.

“Falar da TMA-SP Neo é motivo de grande orgulho e a certeza de que os desafios que nos movem são os mesmos que nos permitem voar cada vez mais alto”, concluiu.

Na sequência, a palavra foi passada ao Diretor Assistente de Segurança Operacional e Operações de Voo da IATA, Júlio Cesar de Souza Pereira, que trouxe à audiência um panorama das “Perspectivas para a aviação mundial”.

Impactada pela pandemia de COVID-19, a aviação global passa pela maior crise de todos os tempos, com graves consequências econômicas. Para se ter uma ideia, em abril de 2020 registrou-se uma queda de 92% nos movimentos aéreos.

A tendência de crescimento do setor está atrelada à eficácia da vacinação da população, uma vez que os sinais da retomada seguem instáveis por conta das novas ondas de contaminação.

“Mercados domésticos estavam mais acelerados na recuperação, enquanto os internacionais, especialmente os intercontinentais, seguiam sofrendo profundamente com as restrições fronteiriças”, comentou Júlio.

“Percebemos a necessidade urgente de tornar o transporte aéreo mais competitivo. No que diz respeito à infraestrutura, as atenções se voltam para as restrições de capacidade, a otimização do Espaço Aéreo e os investimentos aplicados na área. A parte de regulação pede por políticas mais harmônicas e pelo alinhamento com práticas globais, enquanto no campo da sustentabilidade, é crucial liderar o desenvolvimento de combustíveis de aviação sustentáveis e investir em novas tecnologias”, ressaltou.

“Aviação é conexão. É a alavanca para o desenvolvimento do país”, frisou o representante da IATA, pontuando, ainda, que 2021 é um ano muito desafiador. Ainda assim, o futuro é promissor. “A relevância dos aeroportos na Terminal de São Paulo é reconhecida internacionalmente, sendo a quarta maior terminal que concentra rotas domésticas do mundo”.

Júlio citou ainda como exemplos de avanços operacionais o Projeto de Setorização Vertical na Região de Informação de Voo de Brasília, coordenado pelo Grupo de Estudos para Planejamento do Espaço Aéreo (GEPEA), e o Projeto Cardeal Nordeste.

Para apresentar o Projeto TMA-SP Neo, foi chamado o Gerente do Projeto, Major Aviador Sergio Luiz Marques Malecka.

Valorizando o trabalho conjunto das organizações participantes do Projeto, o Major Malecka citou os esforços de toda a equipe e apresentou as motivações e o desenvolvimento da TMA-SP Neo.

Iniciou evidenciando as características que tornam esta Terminal tão complexa, operando por ano, até antes da crise da pandemia, com 660 mil movimentos aéreos, transportando mais de 75 milhões de passageiros.

Além de demonstrar a complexidade das operações na Terminal, o Major Malecka destacou que tanto a Secretaria de Aviação Civil (SAC), quanto a Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) apontam para o crescimento da demanda de tráfego aéreo para os próximos anos, com a retomada pós pandemia.

De acordo com o gerente do Projeto, são objetivos aumentar a capacidade do espaço aéreo, reduzir esperas e atrasos, diminuir a carga de trabalho de controladores de tráfego aéreo e de pilotos e manter os elevados índices de segurança operacional.

A última apresentação do primeiro bloco teve como tema a Capacidade do Espaço Aéreo e os Resultados do Projeto TMA SP Neo e ficou a cargo do Chefe da Seção de Capacidade do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA) e Gerente de Simulação do Projeto TMA SP Neo, 1º Tenente Esp CTA Eliseu Cavalcanti de Albuquerque.

O Tenente Cavalvanti apresentou o Serviço ATFM (Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo), que tem por meta prover a relação de equilíbrio entre a demanda de tráfego aéreo e as capacidades declaradas.

Em sua palestra, destacou procedimentos para maximizar as capacidades e os testes se Simulação em Tempo Real, realizados em 2019, com a criação de setores dedicados para sequenciamento de aeronaves – como os Setores 06, 09 e 13.

Fechando o primeiro bloco do webinar, foi realizada uma rodada de perguntas e respostas.

O segundo bloco foi dedicado às palestras mais técnicas. Sobre a atualização da Circulação Visual (VFR) com as alterações nas Rotas Visuais (REA e REH) da TMA-SP em decorrência da nova Circulação IFR, as mudanças para o aeroporto de Congonhas (SBSP) e as novas Cartas de Altitude Mínima de Vigilância (ATCSMAC), falou o Chefe da Seção de Tráfego do CRCEA-SE e Gerente de Espaço Aéreo do Projeto TMA SP Neo, 1º Tenente Esp CTA Anderson Luiz Guilherme.

Já o Adjunto da Seção de Concepção do Espaço Aéreo do ICA e Gerente de Espaço Aéreo do Projeto TMA SP Neo, 1º Tenente Esp CTA Bruno da Silveira Topini, apresentou as mudanças para os aeroportos de Campinas (SBKP) e Guarulhos (SBGR), a alteração de Aerovias e a implantação do Point Merge System.

Após as apresentações, foi realizada a segunda rodada de perguntas e respostas da audiência.

Para falar sobre o futuro da Terminal São Paulo, passo a palavra ao Comandante do Centro Regional de Controle do Espaço Aéreo Sudeste, Coronel Aviador Chrystian Alex Scherk Ciccacio.

Apresentando sua Unidade, o Coronel Ciccacio destacou que sua abrangência corresponde a 0,4% da área de responsabilidade da Força Aérea Brasileira, ou seja, 86.133 km2.

Possui, dentre seus 36 aeródromos, 7 dos 11 mais movimentados do Brasil, além de 430 helipontos.

O Comandante mostrou a transparência do serviço prestado através dos dados compartilhados pelo site www.crcease.decea.mil.br, bem como os resultados de indicadores de desempenho e sustentabilidade.

Pesquisas de satisfação foram – e são – realizadas com pilotos que trafegam na Terminal e usufruem dos serviços prestados e os resultados são muito positivos.

Com a missão de prover os serviços de controle do espaço aéreo e telecomunicações do Comando da Aeronáutica (COMAER), bem como conduzir as aeronaves na área definida como de sua responsabilidade, o CRCEA-SE tem por valores Segurança, Disciplina, Profissionalismo, Integridade, Patriotismo e Comprometimento.

“Temos compromisso com a visão global da aviação com ação regional, com a inovação e a busca da excelência organizacional através da transformação digital e da sustentabilidade”, comentou o Coronel Ciccacio.

Destacou ainda as missões de intercâmbio operacional e a Torre Remota de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, como exemplos de pioneirismo e alta capacidade tecnológica.

Lembrou ainda do futuro, que caminha não só para o aumento das demandas de tráfego aéreo alinhadas ao desenvolvimento econômico e social do País, como também para novas formas de transporte, tais quais o eVTOL (Aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical – do inglês Electric Vertical Take-Off and Land).

Fechando o evento, o Major Malecka agradeceu a participação de todos os palestrantes e, em especial, da audiência, que ficou em torno de 250 pessoas online.

Assistindo o webinar estiveram representantes da EMBRAER; da Superintendência de Gestão da Navegação Aérea da Infraero; GRU Airport; Fundação Atech; da Escola de Especialistas da Aeronáutica (EEAR); das Companhias Aéreas LATAM, Líder Aviação; da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR); Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG); JC AVEX – Associação da Aviação Experimental no Brasil; Aces High Escola de Aviação; entre outros.

Para saber mais sobre o Projeto e acessar às respectivas Cartas Aeronáuticas, acesse a página da TMA-SP Neo no site do DECEA através do link www.decea.mil.br/tma-sp-neo.

Assessoria de Comunicação Social (ASCOM DECEA)
Texto: Telma Penteado (RJ 22794 JP)