Novo cliente-chave da Embraer, Alliance Airlines apresenta primeiro E190

No último mês de agosto, a empresa regional australiana Alliance Airlines anunciou ao mercado que iniciaria um processo de expansão de frota, até então composta exclusivamente por antigos aviões Fokker.

Passados dois meses, o primeiro Embraer E190 acaba de “sair do forno” e foi apresentado hoje (25) pela empresa, com uma celebração, em uma publicação no Twitter. A aeronave ainda está finalizando o processo de pintura e deve ser trasladada para a Austrália na próxima semana.

Apesar de adquiridos de segunda-mão da Copa Airlines, os jatos podem ser um trunfo para a Embraer, que aumenta a presença no mercado australiano. Além do potencial da presença, existe também a oportunidade de emplacar mais aeronaves (quem sabe, novas) num novo cliente, que hoje tem 47 aviões Fokker na frota, os quais devem ser trocados num futuro próximo, na medida em que se tornam mais custosos e ultrapassados. Como a Fokker não produz mais aeronaves, os substitutos naturais seriam os E-Jets brasileiros.

Há mais um motivo para esperar uma vantagem do E-Jet, pois dentro do pacote de expansão que a empresa reportou à Comissão de Valores Mobiliários da Austrália (ASX) em agosto, há também a previsão de mais itens, que podem sinalizar o desejo de um relacionamento de longo prazo por parte dos australianos.

Pacotão

No comunicado à ASX, a Alliance dizia que seu objetivo é expandir a frota, mas alguns elementos fazem entender que a empresa realmente está interessada em, no futuro, substituir seus Fokkers. No total, o pacote tem um valor de US$ 79,4 milhões composto por:

– 14 Embraer E190 usados, incluindo um pacote significativo de peças, equipamentos de suporte em solo e dispositivos de treinamento;
– opção para mais cinco aeronaves do mesmo modelo;
– opção para adquirir um simulador de voo completo e equipamento de treinamento;
– seis motores GE CF34 de reserva.

Sobre as rotas, a empresa espera que os E190 voem predominantemente a destinos domésticos em aeroportos menores. No entanto, dada a reduzida demanda nas rotas principais entre grandes centros urbanos devido à COVID-19, o E190 tem potencial de ser o avião perfeito para algumas delas também.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Embraer confirma que sofreu ataque de hackers e isola sistemas

0
A Embraer informou ontem que teve um de seus sistemas acessados por hackers, que vazaram informações da fabricante brasileira.