Início Indústria Aeronáutica Novo gigante da Boeing deve voar no final de junho

Novo gigante da Boeing deve voar no final de junho

A Boeing pretende fazer o primeiro voo de teste de seu novo jato de longo alcance no final de junho, disseram fontes à Reuters nessa quarta-feira (29/05).

O primeiro Boeing 777X nas instalações da Boeing

A previsão vai um pouco além do planejado, mas ainda a caminho de colocar o Boeing 777X em serviço comercial em 2020.

A Boeing espera que o novo jato estenda seu controle sobre o mercado de longo alcance e alta capacidade, que disputa com o A350-1000 de 365 assentos da Airbus, e talvez receba novos pedidos após o “falecimento” do superjumbo A380.

O voo de teste provavelmente ocorrerá tarde demais para a Boeing atingir seu objetivo anterior de voar o 777X no Paris Air Show, que acontecerá de 17 a 23 de junho, onde esperava fazer um marketing no quintal da Airbus.

O desenvolvimento do avião foi atrasado pela paralisação parcial do governo dos EUA no início deste ano e por atrasos na montagem de suas asas compostas de carbono e dos novos motores GE9X da General Electric.

A Boeing também desviou recursos do programa e de outros para se concentrar em colocar seu 737 MAX de volta ao ar após os acidentes na Etiópia e na Indonésia.

A companhia estava trabalhando para um primeiro voo em 21 de junho, efetivamente se sobrepondo ao show aéreo em Le Bourget, a poucos quilômetros ao norte de Paris, de acordo com duas fontes familiarizadas com o assunto. Mas ambas as pessoas alertaram que a data deve ser considerada como uma janela que pode se estender até o início de julho.

As duas primeiras unidades do 777X já fora das instalações de montagem

As duas primeiras aeronaves de teste do 777X já deixaram a fábrica da Boeing em Seattle e estão em testes integrados de sistema, enquanto os dois próximos aviões de teste estão em montagem final, disse o presidente-executivo da Boeing, Dennis Muilenburg, em uma conferência na quarta-feira. “Ainda esperamos conseguir entrar em serviço em 2020”, disse ele.

Com informações da Reuters.

Sair da versão mobile