Novo vídeo do B727 da Asas Linhas Aéreas mostra detalhes da manutenção

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Asas Linhas Aéreas, nova empresa aérea em processo de certificação no Brasil, continua dando andamento no processo de manutenção para colocar em voo seu primeiro avião, um Boeing 727 que havia ficado fora de serviço por longo período, e segue registrando todas as etapas para apresentar os detalhes aos amantes da aviação.

No novo vídeo que você viu acima, publicado nessa semana no canal Teaching for Free, o Diretor de Manutenção da companhia aérea, Hélio Oliveira, e outros integrantes da equipe técnica mostram e explicam a manutenção sendo cumprida no Aeroporto de Curitba/Afonso Pena, em São José dos Pinhais.

Primeiro, Hélio faz um ‘walk around’ pelo Boeing 727-200F de matrícula PR-IOC. Esse termo é o nome dado ao processo de percorrer toda a aeronave para inspecioná-la, como é executado periodicamente pelo comandante entre cada voo.

Durante o “passeio”, o Diretor dá uma melhor ideia do tamanho do trijato, uma vez que ao vê-lo à distância as pessoas podem não ter a noção das reais dimensões. A cauda, por exemplo, fica a 10 metros do solo, ou seja, a altura de um edifício de cerca de 3 andares.

Hélio destaca que é errada a ideia que muitos têm de que o avião é um “ferro-velho”. Embora produzido pela Boeing em 1982, portanto, já com quase 39 anos de idade, o exemplar foi um dos últimos produzidos pela Boeing e foi muito bem conservado até agora, permitindo a continuidade de seu uso aproveitando-se das ótimas características operacionais do modelo como cargueiro.

O Diretor também entrevista Jonas, o responsável pelo controle documental do histórico da aeronave, Clodoaldo, um dos mecânicos que está trabalhando na manutenção do Boeing 727, e Eduardo, responsável por cuidar da situação dos aviônicos do jato, ou seja, dos sistemas e equipamentos elétricos e eletrônicos.

No vídeo, ainda conversam sobre o trijato Raí e Kelvin, dois técnicos de manutenção que pertenciam à Rio Linhas Aéreas, operadora anterior do avião e que agora se tornou a empresa WS, que cuida da manutenção do modelo.

Por fim, Hélio conversa com Paulinho, técnico da DIGEX, empresa de São José dos Campos (SP) especializada em manutenção de aviões comerciais e que também tem participado dos serviços para colocar o 727 novamente em condição adequada para cumprir voos comerciais.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

ANAC publica a Classificação AVSEC de Aeroportos para 2021

0
No dia 26 de fevereiro, foi publicada no Diário Oficial da União a Portaria nº 4.315, de 23 de fevereiro de 2021, que divulgou a classificação