O Caribe recupera uma de suas históricas companhias aéreas

Companhia aérea com maior presença nas Pequenas Antilhas, a LIAT voltou a operar depois de anunciar o fim dos seus voos em julho passado. Naquela ocasião, o Primeiro-Ministro de Antígua e Barbuda, um dos acionistas majoritários, anunciou que a companhia aérea caribenha seria liquidada após sofrer perdas de $4,4 milhões de dólares em 2019 e ter um grande impacto devido ao fechamento das fronteiras por conta da pandemia.

Mas fechar a empresa seria um cenário péssimo para a região, que depende do transporte aéreo, além de um baque a seus moradores, que veriam a tradicional empresa sucumbindo.

Segundo a matéria do Aviacionline, ainda em julho, o Tribunal Superior de Antígua nomeou Cleveland Seaforth como administrador da LIAT, atribuindo-lhe a responsabilidade de reorganizar a empresa, reduzindo passivos e despesas de realinhamento. De acordo com Barbados Today, a missão seria recolocar a empresa para voar.

Seaforth então agiu para reorganizar a área financeira e informou que a companhia aérea deve US$ 37 milhões a seus credores, mas que esse pagamento não será feito em um futuro próximo e está negociando com fornecedores.

Agora, para satisfação dos envolvidos, a LIAT, sob gestão, voltou a operar em 30 de novembro, fazendo com que o ministro das Relações Exteriores, Chet Greene, reconhecesse que a retomada das operações é um sucesso para o país e para a região. No Twitter (abaixo), a empresa celebrou o voo inaugural.

A companhia aérea terá um número limitado de voos entre 30 de novembro e 15 de dezembro, operando cinco dias por semana para sete destinos: Antígua, Barbados, Dominica, Granada, Santa Lúcia, São Cristóvão e São Vicente. Ao longo do mês, adicionará mais cidades à sua rede.

Antes do quase-colapso, a LIAT tinha cinco ATR 42-600 e cinco ATR 72-600 com os quais se conectava a 21 destinos, operando uma média de 112 voos semanais. Trabalhavam na empresa cerca de 670 funcionários, dos quais restavam apenas 103. Durante os meses em que o LIAT não funcionou, outras empresas tomaram seu lugar. Isso inclui Caribbean Airlines, InterCaribbean, SVG Air, Air Antilles e OneCaribbean.

Os Serviços de Transporte Aéreo das Ilhas Leeward (LIAT) foram fundados em Montserrat em 1956 em conjunto com a companhia aérea BWIA, hoje Caribbean Airlines. Ela rapidamente se expandiu para diferentes ilhas da região, proporcionando uma conexão vital com a comunidade. Em 1974, sofreu o primeiro golpe quando vários acionistas declararam falência, o que fez com que 11 países comprassem a empresa a fim de manter conexões interilhas.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias