O fim de um quadrimotor russo está próximo: o último IL 96-300 fez seu primeiro voo

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto: UAC

Em 9 de abril, ocorreu o primeiro voo do último Il-96-300 produzido na planta da VASO (Voronezh Aircraft Production Association) em Voronezh, que faz parte da United Aircraft Corporation (UAC), um braço da Corporação Rostec. A aeronave, após completar seu ciclo de testes, será transferida para o governo russo.

Como reporta o Aviacionline, os voos de teste foram realizados a uma altitude entre 5.000 e 9.000 metros, nos quais foram verificadas a estabilidade, controlabilidade, o funcionamento dos seus sistemas e da central de energia. Durante a descida, o equipamento de aproximação foi checado. A duração do voo foi de cerca de duas horas.

A UAC disse que este Il 96 está equipado com os mais modernos sistemas e equipamentos de voo, cumprindo as normas europeias e internacionais. Também tem com uma nova pintura, que confere proteção adicional à estrutura da aeronave.

Não foi revelado que tipo de tarefas o Il 96 executará para o governo russo, embora a mídia local diga que será usado como uma plataforma para operações especiais. O quadrimotor é um derivado do IL-86 e tem capacidade para até 300 passageiros. É movido por motores Aviadvigatel (Soloviev) PS-90A, capazes de fornecer um alcance de 11.000 km. É o primeiro widebody russo e surgiu durante a União Soviética.

Seu primeiro voo foi em 1988, mas só em 1992 foi certificado e, depois, entregue à Aeroflot como cliente lançador em 1993. O fabricante não conseguiu organizar a produção em massa comercialmente viável, fabricando apenas uma aeronave por ano. A Aeroflot fez um recall do Ilyushin em 2014, substituindo-o por modelos ocidentais.

A Cubana de Aviación é a única companhia aérea fora da Rússia com voos comerciais deste modelo. Seu primeiro Il 96 foi recebido em dezembro de 2005 e, em janeiro de 2006, fez seu primeiro voo comercial entre Havana e Buenos Aires.

Quatro variantes foram certificadas, o Il 96-300, o Il 96M (versão modernizada), o Il 96T (versão de carga) e o Il 96-400. Nestes 32 anos de produção, apenas cerca de 30 unidades foram fabricadas, a maioria foi usada para várias funções do governo russo e da estatal Rossiya. Embora o programa tenha fracassado, devido aos altos níveis de consumo de combustível, principal fator para as baixas vendas, a UAC continuou investindo nele.

O desenvolvimento do Il 96-400 começou em 2010 com uma atualização dos aviônicos em relação ao seu antecessor. A Cubana seria o primeiro cliente comercial do modelo, mas o contrato foi rescindido devido à impossibilidade financeira de adquiri-lo.

Além disso, a UAC está desenvolvendo atualmente o Il 96-400M, uma variante modernizada e de maior capacidade. No entanto, a mídia russa informa que uma produção em massa do modelo não é esperada e que o referido modelo pode até ter seu desenvolvimento suspenso.

A principal diferença entre o modelo anterior e o 400M é que ele tem uma fuselagem maior, mas ainda usa os motores PS-90A, o que o coloca em uma posição fraca em relação a outros concorrentes do segmento. O projeto teve início em 2015, e pretendia iniciar as entregas em 2019. Após vários atrasos, o primeiro jato ainda se encontra em construção, com a intenção de fazer o primeiro voo no final de 2021 ou início de 2022.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Casal goiano alega na justiça que empresa aérea colombiana atrapalhou sua...

0
A 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás aumentou para R$ 10 mil a indenização, por danos morais, que uma família vai receber