O que se sabe sobre o destino dos 220 Airbus A380 do mundo?

No ano passado, falávamos sobre o que deveria acontecer com os, à época, 247 Airbus A380 do mundo. De lá para cá, o destino do maior avião de passageiros do mundo mudou drasticamente. Se antes a expectativa era de que ele voasse por mais uma década, hoje, em meio à pandemia, não se pode fazer o mesmo prognóstico.

A Air France, na semana passada, foi a primeira operadora a retirar de vez todos os dez A380 que tinha na frota, enquanto que a Lufthansa já havia decidido antes pela estocagem definitiva de metade da sua frota. Outras grandes empresas do mundo titubeiam, mas não escondem que devem manter suas frotas de gigantes paradas por algum tempo. A Qantas, por exemplo, não deve voar com o superjumbo até 2022.

Avião Airbus A380 Emirates

Por sua vez, as “big three” do Oriente Médio também não sabem o que fazer com seus A380, já que não divulgaram planos para eles, embora eles estejam todos parados, sem voar nesse momento.

Enquanto Qatar e Etihad ainda pensam como empregar seus 10 A380 cada, a Emirates, com 114 certamente está numa sinuca de bico, já que eles são (ou eram), uma das mais importantes partes da espinha dorsal da rede global da companhia. No entanto, com a demanda em baixa, colocar um A380 para voar vazio pode ser um desperdício de recursos. Além disso, a empresa emiradense já aposentou um e tem mais oito a receber.

De fato, a situação é complicada. Dos 247 Airbus A380 do final do ano passado sobraram 220, por enquanto, já que é esperado que mais empresas deem um fim às suas frotas de gigantes. Confira o status atual:

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias