Entenda por que uma enxurrada de flores está aterrissando em Miami nessa semana

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Pouca gente sabe, mas as semanas que antecedem ao Dia dos Namorados nos Estados Unidos (Valentine’s Day) são uma das épocas mais movimentadas do ano para as inspeções agrícolas, afirma a Alfândega e a Proteção de Fronteiras. Isso porque milhões de flores chegam por via aérea para atender à demanda dos casais apaixonados dos EUA e tudo tem que estar pronto antes da data especial, 14 de fevereiro.

Apenas Miami recebe 89% de todas as flores exportadas para os Estados Unidos, diz Emir Pineda, gerente de logística do aeroporto. Isso se traduz em milhões de flores de todos os tipos e tamanhos desembarcando todos os dias nessa semana. E junto com sua chegada, inicia uma operação especialmente planejada.

Funcionários adicionais são trazidos e uma sala de guerra é montada para analisar buquê a buquê, na busca por plantas, sementes e insetos proibidos. Sobre esses últimos, é importante mesmo que eles não entrem. Um inseto estrangeiro pode representar uma ameaça para a indústria agrícola do país – introduzindo espécies invasivas que podem causar estragos no meio ambiente.

Se esses insetos forem considerados uma espécie proibida, toda a remessa é devolvida ao remetente ou incinerada. Encontrar apenas um item proibido significa que a remessa inteira será rejeitada – e isso pode representar centenas de milhares de dólares.

A Colômbia e o Equador são dois países tradicionalmente exportadores de flores.

Durante a temporada que começou três semanas antes do Dia dos Namorados, o Grupo LATAM decolou cerca de 225 vezes de Bogotá, Medellín e Quito com suas cargas de rosas, alstroemeria e gerberas da Colômbia e rosas, gypsophila e alstroemeria do Equador para os Estados Unidos. A Avianca Cargo diz que fez outros 255 voos e que o dia de maior movimento foi 5 de fevereiro, com 17 voos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias