Oficial afirma que descobriu motivo do Boeing 737 ter sido derrubado no Irã

Um militar ucraniano afirma que descobriu o motivo do Irã ter derrubado o Boeing 737 da Ukranian Airlines: perseguição a um traidor, conforme já apontavam algumas suspeitas levantadas nos dias subsequentes à ocorrência.

Destroços 737 Ukranian derrubado Irã
Destroços do Boeing 737 derrubado no Irã

O Tenente-General Hryhoriy Omelchenko do SBU – Serviço de Inteligência da Ucrânia, afirmou em entrevista ao jornal Ukranian Reporter que a Guarda Revolucionaria Islâmica tinha a informação de um traidor a bordo do voo.

Segundo Omelchenko, a pessoa em questão seria um agente iraniano que passou informações aos EUA sobre a localização do General Kasem Suleimani, chefe da Guarda e que foi morto no ataque aéreo realizado pelos EUA.

Investigação independente

O oficial ucraniano está fazendo uma investigação independente, e contatou diversas fontes no exterior até chegar nesta conclusão.

Uma das fontes revelou que, com a ajuda da SVR russa (sucessora da KGB soviética), os iranianos encontraram de onde saiu a informação para os americanos de que Suleimani estaria em Bagdá para encontrar com um líder de milícia local.

O informante seria próximo de Suleimani e da liderança da Guarda. Apesar de não ter o nome revelado, esta pessoa teria procurado asilo político na Ucrânia, inimiga da Rússia aliada do governo do Irã.

Para impedir a fuga, a Guarda do Irã teria derrubado o Boeing 737 logo após a decolagem, com supervisão russa que estaria monitorando em conjunto o espaço aéreo.

Vale lembrar que, apesar das novas informações dadas pelo oficial ucraniano, ainda é preciso ter certa desconfiança, dado que a Ucrânia é inimiga declarada da Rússia, e colocar a culpa nos russos seria uma atitude conveniente.

Irã sabia da derrubada desde o primeiro instante

Por outro lado, áudios vazados do controle de tráfego aéreo no momento da derrubada apontam que um avião da companhia aérea Aseman, que estava aproximando-se de Teerã, viu o disparo do míssil e reportou o fato à torre.

Míssel Irã Boeing 737 Ukraine
Míssil saindo de Teerã no dia do acidente

O voo EP3768 cumpria a rota doméstica de Shiray para Teerã, quando o copiloto reportou um míssil sendo disparado. A torre de controle questionou a origem do míssil e o tripulante falou que teria saído da capital.

Momentos depois, a torre chama o voo da Ukranian sem resposta, e o copiloto da Aseman Airlines afirma que o avião foi atingido e está em chamas.

Este áudio vai de contra a informação do Irã de que não sabia no primeiro momento que o Boeing havia sido derrubado, colocando em cheque mais uma vez a credibilidade das declarações do governo local.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.