Entidade quer que aeroportuários tomem a vacina antes de outros profissionais

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Airports Council International (ACI) World pediu ontem, 17 de dezembro, aos governos que reconheçam os trabalhadores de aeroportos como essenciais, pois os programas de vacinação são implementados assim que as necessidades das pessoas mais vulneráveis ​​e dos profissionais de saúde são atendidas.

Aeroporto Vitória Pátio
Imagem: ASeB Aeroportos do Sudeste do Brasil

A ACI World acredita que, uma vez que os trabalhadores-chave e as pessoas mais vulneráveis ​​são cuidadas, os trabalhadores do aeroporto devem ser reconhecidos como essenciais e priorizados para a vacinação. “Os funcionários do aeroporto são funcionários da linha de frente que estão em contato diário com o público que viaja, portanto, priorizá-los para vacinação demonstrará ainda que a saúde, a segurança dos passageiros e da equipe continuam sendo de suma importância para a indústria”, diz a entidade.

Além disso, a aviação terá um papel cada vez mais crucial no apoio à recuperação social e econômica, por meio da movimentação de bens essenciais, incluindo a distribuição de vacinas, em todo o mundo, bem como facilitando o crescente número de pessoas que estarão viajando nos próximos meses.

“À medida que a distribuição global de vacinas começa, fica claro que os mais vulneráveis ​​em nossa sociedade e os principais profissionais de saúde que estão fazendo muito para nos manter seguros e saudáveis ​​são priorizados para vacinação”, disse o Diretor Geral Mundial da ACI, Luis Felipe de Oliveira disse. “À medida que este grupo crucial é vacinado, é importante que outros grupos-chave recebam as vacinas para que possam apoiar uma recuperação global da pandemia”, completou.

“Os trabalhadores do aeroporto são, em sua maioria, funcionários da linha de frente que estão em contato com o público todos os dias, de modo que garantir que sejam priorizados para a vacinação será mais uma prova do compromisso da indústria com a saúde e a segurança dos passageiros e funcionários”.

Cerca de 60 por cento dos empregados na aviação trabalham em aeroportos, por isso é importante que os governos reconheçam os trabalhadores aeroportuários como essenciais e tenham prioridade na vacinação, para que possam ajudar a fornecer a recuperação de que o mundo necessita, finaliza a associação.

Informações da Airports Council International (ACI) World

Claudio Brito
Apaixonado por aviação desde o berço como filho de comissário de bordo, realizou o sonho de criança se tornando comissário em 2011 e leva a experiência de quase 10 anos no mercado da aviação. Formado Trainer em Programação Neurolinguística, conseguiu unir suas duas paixões, comunicação e aviação.

Veja outras histórias

França também contará com serviços da Embraer na Mobilidade Aérea Urbana

0
O objetivo é disponibilizar um total de 50 mil horas de voo por ano na aeronave elétrica da Eve, mas que pode chegar a 100 mil.