Em pane, Airbus A320 fica 1h15 em órbitas e voa mais 1h20 até pousar

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Os passageiros de um Airbus A320 precisaram aguardar por longas 3 horas e 30 minutos para saberem o final que teria seu voo, depois que a aeronave apresentou uma pane alguns minutos após ter decolado.

Avião Airbus A320 Yamal Airlines
Airbus A320 da Yamal Airlines, semelhante ao da pane – Imagem: Anna Zvereva / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

A situação se desenvolveu na madrugada desta quinta-feira, 14 de janeiro, com o A320 registrado sob a matrícula VP-BBN e operado pela companhia aérea russa Yamal Airlines, que transportava 111 pessoas entre passageiros e tripulantes, segundo informações do The Aviation Herald.

O jato havia decolado do Aeroporto Domodedovo, na capital russa Moscou, no voo de número YC32 para Salekhard, também na Rússia. A jornada normal duraria cerca de 2 horas e 45 minutos, porém, devido à pane o A320 terminou pousando quase 3 horas e 30 minutos depois em um aeroporto muito mais próximo, em São Petesburgo.

Isso porque, quando estava cruzando o nível de voo FL220 (altitude de cerca de 22 mil pés, ou 6.700 metros) na subida após a partida da pista 14R de Domodedovo, a tripulação interrompeu o procedimento, relatando uma leitura não confiável de velocidade aerodinâmica em seus instrumentos de voo.

A altitude da aeronave foi então reduzida até o nível FL150 enquanto mantida em órbitas, completando 11 voltas em um tempo total de espera de 1 horas e 15 minutos. Até o momento, não há detalhes que indiquem o motivo pelo qual os pilotos mantiveram por tanto tempo a espera, entretanto, havia condições meteorológicas adversas em Moscou, com forte nevasca, podendo ser esta a razão.

O A320 efetuando órbitas após a pane – Imagem: FlightRadar24

Na sequência, a tripulação prosseguiu com o retorno ao aeroporto de partida, porém, durante a aproximação para pouso de volta na pista 14R foi executada uma arremetida. Mais uma vez, não há confirmação do motivo, mas é possível que também se deva às condições meteorológicas.

Após arremeter, o Airbus A320 dirigiu-se de volta à região na qual fez antes as órbitas de espera. Ali chegando, a decisão da tripulação foi pela ida ao aeroporto alternativo de São Petesburgo, que apresentava condições meteorológicas bem melhores, segundo os dados METAR daquele local.

A altitude de voo mantida durante todo o percurso de 1 hora e 20 minutos até o aeroporto de alternativa foi de cerca de 17 mil pés, com recorrentes variações um pouco acima e um pouco abaixo tanto na altitude quanto na velocidade, da mesma forma que já vinha acontecendo durante todo o voo desde que a decolagem.

Gráfico do voo mostra variações constantes de altitude e velocidade – Imagem: FlightRadar24

Os instrumentos das aeronaves utilizam leituras de pressão dinâmica e estática do ar para determinar variações de velocidade e altitude, portanto, não é incomum essa associação de imprecisão dos dois parâmetros quando há alguma pane no sistema.

Em São Petesburgo, o pouso foi realizado com segurança, e outro Airbus A320 de matrícula VP-BHX partiu algum tempo depois para levar os passageiros ao destino original, onde pousou cerca de 8 horas após o horário padrão da chegada.

O Ministério Público de Transporte de Novourengoy relatou que a aeronave foi desviada para São Petersburgo devido a razões técnicas, mas pousou em modo normal, e uma verificação de segurança foi iniciada no A320.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Lufthansa põe nova data para o retorno do Jumbo Boeing 747...

0
A volta do mais icônico dos jatos de passageiro ao Brasil já tem data prevista, e será com a alemã Lufthansa com seu Boeing 747-8i.