Passageiro filma momento em que 737 sofre estol de compressor

Veja o vídeo nesse post

Um passageiro capturou em vídeo o exato momento em que o motor esquerdo de Boeing 737-800 sofreu um estol de compressor logo após a decolagem, obrigando a tripulação a desligar o motor em voo e retornar ao aeroporto.

O incidente aconteceu no último domingo (26), com o voo UA132, de Honolulu, no Havaí, para Majuro, nas Ilhas Marshall.

A aeronave, um Boeing 737-800 de matrícula N37281 com 149 pessoas a bordo, decolou normalmente da pista 8R de Honolulu às 7h53 quando, subitamente, o motor da asa esquerda começou a emitir sons secos de batidas junto a listras de chamas.

Por ser uma condição de voo treinada, a tripulação imediatamente identificou o problema e acionou os procedimentos de segurança, mantendo a aeronave estabilizada a 3000 pés (1.000 m) de altitude e desligou o motor problemático em pleno voo.

A torre de controle do aeroporto manteve-se de prontidão, enquanto o Boeing realizava seu voo em órbitas com objetivo de liberar combustível e deixar a aeronave mais leve para o pouso, que aconteceu cerca de 50 minutos após a decolagem. A chegada ao aeroporto contou com a escolta do corpo de bombeiros. Veja a rota do Boeing, da decolagem ao pouso:

Curso do voo – fonte Flightaware

Passageiros do voo informaram à rede Khon, do Havaí, que a tripulação comunicou o problema aos passageiros de maneira transparente e informou que não havia risco. Após o incidente, a aeronave foi retirada de serviço para manutenção e os passageiros foram remanejados para outros voos.

Um passageiro filmou o exato momento do incidente. Apesar das cenas impressionarem, a aeronave não teve dificuldades em retornar a Honolulu.

Um estol de compressor é uma interrupção parcial do fluxo de ar em um motor a reação e é uma condição progressiva que, se não sanada, pode levar ao surge. O efeito de surge é uma completa interrupção do fluxo de ar através do compressor e que pode, no pior dos casos, causar uma reversão instantânea na direção do fluxo de ar que passa pelo motor. A gravidade do estol varia de uma queda momentânea de potência (ocorre tão rapidamente que quase não é registrada pelos instrumentos do motor) até uma completa perda de compressão (surge),  necessitando de uma redução no fluxo de admissão de combustível do motor. Informações da Wikipedia

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.