Início Acidentes e Incidentes Passageiro imobiliza homem que tentou invadir cabine em voo da Korean Air

Passageiro imobiliza homem que tentou invadir cabine em voo da Korean Air

Boeing 787-9 da Korean Air – Imagem: Boeing

Um homem exaltado foi imobilizado por outro passageiro em uma aeronave da Korean Air após ameaçar invadir a cabine de comando em pleno voo. O caso aconteceu no dia 24 de setembro durante uma viagem entre Seul, na Coreia do Sul, e Seattle, no estado de Washington, Estados Unidos.

O norte-americano Gene Parente, de 54 anos, estava dormindo na classe executiva do voo quando acordou em meio a uma grande confusão ao seu redor. Segundo jornal The Seattle Times, o sul-coreano Gyeong Jei Lee estava com um saco plástico na cabeça e batendo agressivamente na porta da cabine de comando. Lee exigia falar com o comandante, gritando em inglês e coreano que tinha uma bomba e queria que o avião pousasse em Vancouver, no Canadá, porque nunca havia estado lá antes.

De acordo com o jornal New York Post, Parente sentiu pavor em reviver alguma situação semelhante aos ataques de 11 de setembro. Porém, segundo relatou ao jornal, por ser um homem forte, com mais de 2 metros de altura e quase 100 quilos, foi abordado por um comissário para ajudar na situação. Nas palavras dele, os homens da tripulação eram significativamente menores que o agressor, que tinha porte físico semelhante ao de Parente.

Foto do sul-coreano imobilizado na classe executiva

Ao tentar conversar com o passageiro alterado, Parente foi empurrado por Lee, que tinha objeto na mão, e os dois iniciaram uma briga. Segundo o Seattle Times, um dos comissários disparou uma arma de eletrochoque que imobilizou momentaneamente o agressor. Foi tempo suficiente para Parente e os demais tripulantes amarrarem o homem até o avião pousar.

Lee foi preso por agentes do FBI imediatamente após a chegada no Aeroporto Internacional de Seattle-Tacoma. Gyeong Lee foi acusado de interferência em voo e agressão por um Tribunal Distrital dos Estados Unidos. O sul-coreano é morador do estado americano do Colorado.

Embora esteja sendo tratado como herói, Gene Parente se mostrou surpreso por ter sido recorrido pela tripulação como primeira opção de defesa de uma situação de alto risco. “Não estou dizendo que você precisa ter guardas armados nos aviões, mas ao mesmo tempo essa era uma situação muito perigosa que poderia ter terminado pior”, disse ele ao Seattle Times.

A Korean Air informou ao jornal que treina rotineiramente os membros da tripulação para lidar com passageiros indisciplinados, inclusive usando um taser (dispositivo de choque). A companhia também disse que não contrata pessoas por seu tamanho e confia que todos os tripulantes são capazes de realizar ações com segurança.

“Passageiros indisciplinados são uma questão ampla que deve ser tratada pelo aeroporto e pelas autoridades policiais. Continuaremos a discutir com as partes interessadas relevantes para eliminar esses casos”, declarou a empresa em nota.

Sair da versão mobile