Passageiros de avião cujo motor explodiu contratam advogado do caso 737 MAX

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Vários passageiros do voo UA-328 contrataram o Clifford Law Offices após sofrerem de transtorno de estresse pós-traumático decorrente de um voo da United Airlines que sofreu uma perda de motor durante um voo de Denver para o Havaí em 20 de fevereiro. O caso ficou conhecido à época e foi amplamente divulgado na mídia mundial.

O UA328, operado por um Boeing 777-200 estava a caminho de Honolulu quando, quatro minutos após a decolagem, ocorreu uma explosão e o motor direito foi envolvido pelas chamas. Os pilotos foram forçados a voltar para Denver enquanto os passageiros testemunhavam o incêndio no motor e uma forte trepidação a bordo. Um grande estrondo pode ser ouvido no gravador de voz da cabine do avião, que foi removido para investigação.

Treinados para lidar com esse tipo de situação, os pilotos pousaram o avião em segurança 24 minutos após a decolagem. A Federal Aviation Administration (FAA) iniciou posteriormente uma investigação de outros aviões com motores semelhantes para ver se o defeito é generalizado. 

Embora seja uma situação rara de ocorrer e os tripulantes sejam preparados, isso não eliminou o início do processo judicial contra United Airlines e Boeing.

Robert A. Clifford, fundador e sócio sênior da Clifford Law Offices de Chicago, defendendo seus clientes, disse: “Os passageiros deste voo pensaram que seria o último. Imagine-se como um passageiro olhando pela janela de um avião e assistindo impotente ao motor pegando fogo. O terror que você experimenta dura a vida toda. Duzentos e quarenta pessoas estavam a bordo daquele voo e muitos mais tarde relataram que estavam orando todo o caminho de volta ao aeroporto, na esperança de ainda verem seus filhos novamente”. 

Clifford também é o principal advogado na queda de um avião Boeing 737 MAX que caiu na Etiópia dois anos atrás, que matou todos os 157 a bordo. Desse acidente, Clifford representa as famílias de 72 dessas vítimas. 

O National Transportation Safety Board (NTSB) está conduzindo uma investigação sobre o acidente que pode levar até um ano ou mais para ser concluída.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Avião Boeing 737-700 Gol Linhas Aéreas

GOL mantém bom ritmo mensal em novembro, veja os dados que...

0
A companhia transportou cerca de 2 milhões de passageiros em mais de 14,2 mil decolagens, incluindo o retorno de rotas internacionais.