Início Empresas Aéreas Passageiros trocam socos dentro de avião após um deles se recusar a...

Passageiros trocam socos dentro de avião após um deles se recusar a usar máscara

Passageiro é retirado à força de aeronave após se recusar a suar máscara

Uma briga teve início dentro uma aeronave da companhia aérea Allegiant Air após um dos passageiros se recusar a utilizar máscara a bordo. A discussão aconteceu no sábado, 5 de outubro, pouco antes da decolagem de um voo entre as cidades de Phoenix, no Arizona,  e Provo, em Utah, nos Estados Unidos.

De acordo com o canal norte-americano de TV NBC, a discussão entre dois passageiros começou quando a aeronave aguardava a decolagem no aeroporto de Phoenix-Mesa Gateway. Uma passageira que estava sentada próxima aos dois, viu quando começou a troca de socos e começou a filmar o tumulto.

Segundo o depoimento das testemunhas, colhidos pela reportagem, a briga começou quando um passageiro que usava uma proteção de acrílico no rosto entrou em uma discussão com um comissário de bordo, que o orientou a usar uma máscara de tecido convencional. Um outro passageiro, que estava sentado à frente, e estava de máscara, entrou na discussão e, após troca de insultos, eles começaram a se agredir fisicamente.

A Allegiant Airlines informou à NBC News que a companhia aérea exige que todos os passageiros usem coberturas faciais em todos os momentos, desde o balcão de check-in, na área do portão e, principalmente, durante o voo. “Protetores faciais de acrílico podem ser usados ​​além da máscara, mas não como única alternativa”, disse a companhia, em nota.

O vídeo de um minuto e meio abaixo mostra como tudo aconteceu.

A briga foi interrompida após 30 segundos. O passageiro sem máscara facial foi escoltado para fora do avião por comissários de bordo, enquanto o outro homem foi autorizado a ficar e seguir viagem.

A NBC comenta que, no início de março, quando as máscaras não eram exigidas pelos aeroportos, um único passageiro foi responsável por infectar 15 outras pessoas a bordo de um voo de Londres a Hanói, no Vietnã, de acordo com um estudo publicado no jornal Emerging Infectious Diseases, divulgado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Sair da versão mobile