Os 3 últimos presidentes dos EUA usaram um mesmo modelo de avião nas campanhas

Em meio à acirrada campanha presidencial nos Estados Unidos, em meio à pandemia, uma figura se destaca: um modelo de Boeing que, coincidentemente, foi utilizado na campanha por todos os três últimos presidentes eleitos.

© White House / AEROIN

À distância pode até parecer uma previsão para a eleição presidencial, já que todos que usaram o jato foram reeleitos, mas essa é apenas mais uma grande curiosidade histórica da aviação. A coincidência toda gira em torno de um modelo avião: o Boeing 757-200. ,

Este exato modelo foi usado na campanha por todos os últimos três presidentes eleitos dos EUA: Bush Jr, Obama e Trump.

Conhecido como o “foguete de Seattle” devido à sua performance e local de origem, o 757 é um dos mais populares aviões da Boeing nos EUA, com 1.050 unidades produzidas de toda a família. Desde 2000 o jato tem dado boa sorte aos seus passageiros em época de eleições, ao menos em parte como veremos a seguir:

George W. Bush

N750NA

Eleito em 2000 com Dick Cheney como vice-presidente, Bush filho como é conhecido para não ser confundido com o seu pai George H. W. Bush, utilizou um Boeing 757-200 da companhia aérea North American.

O jato teve poucas modificações na sua pintura, que já exaltava a bandeira dos EUA bem tremulante na cauda. Foram apenas adicionados o logo da campanha “Bush – Cheney 2000” na fuselagem do jato de matrícula N750NA.

Este 757 voou pela North American até 2011, sendo convertido para cargueiro no ano seguinte após um curto período estocado no deserto do Arizona. Atualmente está na FedEx Express com a matrícula N971FD, batizado de Darcy.

Barack H. Obama

O primeiro presidente afro-americano da história dos EUA também utilizou um 757-200, e também da North American, mas desta vez foi o N755NA.

A pintura foi bastante modificada, com uma cauda azul e o logo da campanha. Na fuselagem os dizeres “CHANGEWE CAN BELIEVE IN” que significa “Mudança, na qual nós podemos acreditar”, parte do slogan de Obama durante a campanha que focou muito em mudanças e ficou famoso pelo “Yes We Can“, oo “Sim, Nós Podemos”.

O jato ficou até 2012 na North American, tendo ido para a companhia aérea russa UTair e posteriormente para a conterrânea Azur Air, onde está até hoje.

Donald J. Trump

Este com certeza é o mais famoso de todos os 757 do mundo: o jato privado do magnata Donald Trump que venceu as eleições de 2016. Com uma diferença dos candidatos anteriores, esse pertence, de fato a Trump.

O jato sempre foi motivo de orgulho para Trump, que chegou a falar que não voaria no Air Force One como presidente para economizar, mas foi obrigado a deixar o Trump One de lado por questões de segurança, já que os aviões da Força Aérea Americana contam com avançados sistemas de comunicação e defesa.

O 757-200 de matrícula N757AF é de propriedade direta de Trump e foi constrúido em 1991, tendo sido entregue para a Sterling Airways da Dinamarca, depois voou pela TAESA do México, e posteriormente pelas americanas Vulcan e a TAG Aviation USA, que inicialmente o alugou à Trump, que o adquiriu no ano seguinte.

Exceções à regra

Embed from Getty Images

Obviamente nem tudo são cartas marcadas e o 757 não é um amuleto da sorte puro. John Kerry tentou em 2004 vencer o republicano Bush em sua reeleição, utilizando também um 757-200 da empresa aérea Transmeridian com matrícula N958PG.

Kerry não venceu e o jato, que antes da campanha estava alugado para a colombiana Avianca, foi para a venezuelana SBA Airlines. Hoje, o avião está convertido para cargueiro e também na FedEx, com a matrícula N977FD e batizado de Gatten.

Só para menção honrosa, abaixo estão os aviões que os outros candidatos usaram nas campanhas e perderam para os 757s:

  • Douglas DC-9 de matrícula N934ML da Spirit Airlines, usado na campanha do democrata Al Gore em 2000 contra Bush filho;
  • Boeing 737-400 de matrícula N802TJ, da Swift Air, na campanha de 2008 do republicano John McCain e Palin contra Obama;
  • McDonnell Douglas MD-83 da USA Jet Airlines de matrícula N949NS, usado na campanha do republicano Mitt Romney, em 2012, tendo perdido para Obama;
  • Boeing 737-800 de matrícula N881XA da Xtra Airways, utilizado por Hillary Clinton em 2016, quando perdeu para Trump.

Vale destacar também que todos os presidentes, quando se reelegeram, não utilizaram avião próprio, mas sim os Boeings 747-200 da USAF, denominados VC-25A, modificados para transporte presidencial, já que já eram os ocupantes do cargo e demandavam segurança avançada.

O 757 da USAF chegou, inclusive, a ser usado muito pontualmente nas eleições, já que a Força Aérea conta com quatro deles, denominados C-32A, para transporte do presidente, vice e altas autoridades em trechos mais curtos, voos domésticos e onde o 747 não consegue pousar.

Atualmente, Trump tem sido visto apenas num dos dois VC-25A, já o democrata Biden utiliza um 737-500 abaixo. Será que o 737 pode trazer alguma sorte dessa vez?

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias