Peças de motor caem do céu após Airbus A320neo ter falha em voo na Índia

Moradores de uma cidade indiana relataram que peças metálicas caíram do céu depois que um Airbus A320neo teve problema de motor durante sua subida.

Avião Airbus A320neo GoAir

Segundo informações do The Aviation Herald, a aeronave envolvida no incidente do último dia 23 de dezembro foi o Airbus A320-200N da companhia aérea GoAir, registrado com a matrícula VT-WGL, executando o voo de número G8-546 de Guwahati para Kolkata, ambas na Índia.

Com 137 passageiros e 7 tripulantes, o A320neo estava na subida inicial após decolagem da pista 02 de Guwahati quando um dos motores PW1127G emitiu altos ruídos. A tripulação parou a subida a 6.000 pés, desligou o motor e retornou a Guwahati para um pouso seguro na pista 02 cerca de 20 minutos após a partida.

FlightRadar24 Voo GoAir Problema Motor
O voo do A320neo no dia 23/12 – Imagem: FlightRadar24

Chuva de metais

Moradores abaixo do trajeto de partida da pista 02 relataram ter ouvido um avião voando sobre eles, e de repente um som ensurdecedor seguido por detritos metálicos caindo do céu.

Uma inspeção pós-voo do motor revelou que as pás da turbina de baixa pressão do terceiro estágio haviam fraturado próximo ao primeiro terço da lâmina. A companhia aérea informou apenas que um pequeno problema técnico levou a tripulação a retornar a Guwahati.

Lâminas fraturadas motor A320neo GoAir
As lâminas fraturadas no motor do A320neo

No dia seguinte, em 24 de dezembro de 2019, o órgão de investigação DGCA da Índia informou que o motor sofreu altas vibrações e emitiu muito ruído, e que passageiros viram fogo pelo tubo de escape.

Substituição das lâminas da turbina de baixa pressão

O DGCA ainda apontou que uma recente diretiva de aeronavegabilidade (AD) da agência de fiscalização FAA dos Estados Unidos determinou a substituição de peças de certos motores deste modelo, de modo a resolver falhas frequentes do terceiro estágio da turbina de baixa pressão. Apesar da AD 2019-25-01 ter sido citada, ainda não há informações que indiquem que o motor do A320neo VT-WGL faça parte da lista de afetados, ou que o mesmo ainda não tenha sido submetido à troca definida no documento.

A diretiva apresenta a seguinte informação sobre os motores fabricados pela Pratt & Whitney: “Essa AD foi motivada por relatos de falha de determinadas lâminas do 3º estágio da LPT (turbina de baixa pressão). A FAA está emitindo esta AD para impedir a falha dessas lâminas do 3º estágio da LPT. A condição insegura, se não tratada, pode resultar em falha das lâminas do 3º estágio da LPT, falha de um ou mais motores, perda do controle de empuxo e perda do avião.”

Os prazos de cumprimento da substituição, caso o motor tenha uma das peças afetadas listadas na diretiva, variam de 90 dias a 360 dias a partir da data de 16 de dezembro de 2019. Portanto, mesmo que o motor do A320neo da GoAir seja afetado, ainda haveria prazo disponível até o vencimento da troca.

Pouco tempo atrás, em 11 de novembro, outro Airbus A320neo da GoAir também teve problema de motor durante uma tentativa de pouso, em que a aeronave tocou o solo na terra ao lado da pista. Veja mais detalhes na matéria a seguir:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias