Pela saúde de seus funcionários, Embraer concede licenças remuneradas

A Embraer anunciou neste domingo, 22 de março, que está concedendo afastamentos temporários remunerados a seus funcionários, como forma de preservar a saúde e o bem-estar durante a crise mundial.

Avião Embraer E190
Imagem: Antônio Milena / Agência Brasil [CC]

A fabricante brasileira de aviões informa que muitos de seus trabalhadores passaram a exercer suas atividades remotamente a partir de suas casas nas funções em que era possível tal adaptação. Mas nos casos em que não é possível trabalhar à distância, os colaboradores poderão ficar em casa sem prejuízo de seus salários.

A Embraer ainda destaca que manterá em suas fábricas apenas atividades essenciais neste período da decisão, que vai dessa segunda-feira (23) até o próximo dia 31 de março. Veja a seguir os detalhes do comunicado:

“Visando a saúde e o bem-estar dos funcionários, a Embraer tomou a decisão hoje, 22/03, de colocar os funcionários que não podem desempenhar suas atividades remotamente em afastamento temporário remunerado até o dia ‪31/03. Manteremos apenas poucas atividades essenciais em operação.

Os funcionários que estão em home office continuam trabalhando remotamente. Essa medida abrange todas as unidades Brasil. A Embraer também está avaliando a situação nos demais países em que opera e informará em breve a decisão.

Ao longo dos próximos dias, a direção da empresa vai analisar a situação e, junto com os governos e sindicatos locais, tomar a decisão mais adequada para proteger os funcionários do contágio pelo coronavírus e, ao mesmo tempo, proteger o nosso negócio, de forma que todos sofram o menor impacto possível.

A empresa informará a todos sobre as próximas decisões até o dia 30/3.”

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.

Comentários estão fechados.