Pessoas banidas pela Delta por não uso de máscara encheriam um Boeing 767

Boeing 767-400ER da Delta pousa em Los Angeles

A Delta Air Lines, durante a pandemia do coronavírus, já baniu clientes suficientes para encher um Boeing 767, e todos pelo mesmo motivo: o não uso de máscara.

Nos EUA, uma pessoa (ou empresa) pode recusar um serviço/venda sem dar justificativa, desde que não seja algo discriminatório por raça, religião, sexo, etc. Logo, a empresa pode proibir a venda de passagens para qualquer pessoa e não pode ser punida por isso.

“Apesar de ser raro, nós continuamos a colocar passageiros na lista de banimento por não usarem a máscara durante os voos”, disse o CEO da Delta, Ed Bastian, em um comunicado interno relatado pela CNN.

Não existe nenhuma lei federal nos EUA que obriga o uso de máscara, logo as companhias não são obrigadas a exigirem de seus clientes, mas nos aviões, por serem de sua propriedade, elas podem impor qualquer regra que não viole leis federais. Sendo assim todas as companhias aéreas dos EUA têm obrigado o uso de máscara por seus passageiros, seja em voo ou na espera no aeroporto.

Segundo o CEO, o número de banidos até a data chegaria a algo em torno de 240 passageiros, o equivalente a um Boeing 767-400ER da companhia na sua configuração doméstica, que leva 178 passageiros na Econômica, 40 na Delta Comfort e 28 na Delta One, que seria similar à primeira-classe.

Recentemente uma pessoa bem conhecida foi banida pela Delta por não usar máscara. O ex-marinheiro Robert O’Neill, que era membro do DEVGRU, a “elite da elite” da força de operação especial SEAL. Ele participou da Operação Lança de Netuno, que matou Osama Bin Laden. Inclusive o próprio ex-militar afirma em entrevistas e à mídia que ele próprio matou Bin Laden, tendo se tornado famoso nos EUA e, portanto, levando a grande repercussão seu banimento:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Boeing tem prejuízo de US$ 466 mi no trimestre e fala...

0
A Boeing disse nessa quarta-feira (28) que cortará mais milhares de empregos até o final do ano que vem, na medida em que a pandemia