PF acha 15 kg de cocaína com passageiros que iam de Guarulhos à Etiópia

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Polícia Federal, no Aeroporto Internacional de São Paulo, em ação conjunta com a Receita Federal, apreendeu entre 3 e 4 de março, 15 kg de cocaína com passageiros que embarcariam em voos para o continente africano.

Policiais federais, em fiscalização de rotina junto aos balcões de check-in abordaram uma passageira para entrevista e realizaram busca pessoal e revista das bagagens. Com a mulher, de 51 anos, nacional das Filipinas, os policiais encontraram volumes ocultos no forro da bermuda que ela vestia. Após realização dos exames periciais, o conteúdo foi identificado como cocaína, cujo peso somou 3 kg. O destino da droga era Addis Ababa, na Etiópia.

Já nos porões de bagagens despachadas, a equipe do K9 da Receita Federal, selecionou duas bagagens que os cães farejadores sinalizaram. Após serem submetidas ao aparelho de raio-x e confirmar a existência de algo suspeito em seu interior, os passageiros, ambos nacionais da Nigéria, foram localizados e conduzidos à delegacia para realização dos exames periciais.

Na bagagem do suspeito, que embarcaria para Conakri, na Guiné, foram encontrados 8 kg de cocaína dentro de embalagens de lençóis e bolsas femininas. Já com o outro homem, dentro de um fundo falso, localizado na mala, havia 4 kg de cocaína.

Todos os presos ingressaram no país beneficiados pela Lei do Refúgio. Desde janeiro já foram apreendidos, no Aeroporto Internacional de São Paulo, 228 kg de drogas com passageiros.

Os presos serão apresentados à Justiça Federal, onde responderão pelo crime de tráfico internacional de drogas.

Informações da Polícia Federal no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias