Phenom 300, Legacy 450 e Legacy 500 da Embraer têm Recordes de Velocidade reconhecidos pela FAI

FAI entrega placas de reconhecimento dos recordes dos jatos da Embraer. Imagem: Divulgação / Embraer.

A Embraer teve recordes de velocidade estabelecidos pelos jatos executivos Phenom 300, Legacy 450 e Legacy 500 reconhecidos pela Federação Internacional de Aeronáutica (FAI, do francês Federation Aeronautique Internationale). A cerimônia foi realizada no dia 10 de outubro durante a edição 2017 da NBAA-BACE (National Business Aviation Association’s Business Aviation Conference and Exhibition), convenção e exposição da aviação executiva realizada em Las Vegas, 10 a 12 de outubro, nos Estados Unidos.




O jato Phenom 300 estabeleceu novos recordes em dois voos sobre o Caribe e os Estados Unidos. O primeiro voo partiu de Philipsburg, em Saint Martin, para Fort Lauderdale, nos EUA, em 1° de setembro de 2016. O voo durou 2 horas e 41 minutos, registrando velocidade média de 733,38 km/h (455.7 milhas por hora), percorrendo uma distância de 1,969 km (1.063 milhas náuticas). O segundo voo partiu de Anchorage no Alasca para Van Nuys na Califórnia, em 28 de abril de 2017. O voo teve duração de 4 horas e 42 minutos. De acordo com a FAI, a aeronave registrou velocidade média de 795,96 km/h (494,59 milhas por hora) e cobriu uma distância de 3.745 km (2.022 milhas náuticas). O Phenom 300 é propulsionado por dois motores Pratt & Whitney Canada PW535E, com 3.360 libras de empuxo cada, tendo velocidade máxima de 838 km/h (521 milhas por hora) e alcance de 3,650 km (1.971 milhas náuticas) com seis ocupantes e reservas para operação NBAA IFR.

Phenom 300E – Imagem: Divulgação / Embraer

O jato Legacy 450 conquistou recordes de velocidade em três voos sobre os Estados Unidos, Austrália e Indonésia. O primeiro voo partiu de Oakland, na Califórnia para Maui, no Havaí, em 3 de dezembro 2016, durando 5 horas e 14 minutos e percorrendo uma distância de 3.907 km (2.428 milhas náuticas). De acordo com a FAI, foi registrada uma velocidade média de 724,06 km/h (449,91 milhas por hora). O segundo voo partiu no dia seguinte de Maui para San Francisco, na Califórnia, percorrendo uma distância de 3.829 km (2.379 milhas náuticas). O voo teve duração de 4 horas e 27 minutos com velocidade média de 846,34 km/h (525,89 milhas por hora). O terceiro voo partiu de Perth, na Austrália para Jakarta, Indonésia, em 8 de março de 2017. O voo teve duração de 4 horas e 36 minutos, percorrendo uma distância de 3.000km (1.620 milhas náuticas). De acordo com a FAI, a aeronave registrou uma velocidade média de 651,62 km/h (404,9 milhas por hora). Propulsionado por dois motores Honeywell HTF 7500E com 6.540 libras de empuxo cada, com velocidade máxima Mach 0.83 (1.012 km/h ou 629 milhas por hora) e um alcance de 5.371 km (2.900 milhas náuticas) com quatro passageiros e reservas para operação NBAA IFR.

Legacy 450. Imagem: Divulgação / Embraer.

O jato Legacy 500 estabeleceu novas marcas de velocidade em voos sobre a Europa. O primeiro voo partiu de Bremen, na Alemanha para Moscow, na Rússia em 7 de setembro de 2016, registrando uma velocidade média de 775,3 km/h (481,75 milhas por hora) e duração de 2 horas e 24 minutos, percorrendo uma distância de 1.867 km (1.008 milhas náuticas). O segundo voo aconteceu em 11 de setembro de 2016, entre Moscow e Paris, na França, e teve duração de 3 horas e 11 minutos percorrendo uma distância de 2.467 km (1.332 milhas náuticas). Propulsionado por dois motores Honeywell HTF 7500E com 7.036 libras de empuxo cada, com velocidade máxima Mach 0.83 (1.012 km/h ou 629 milhas por hora) e um alcance de 5.787 km (3.125 milhas náuticas) com quatro passageiros e reservas para operação NBAA IFR.

Legacy 500 – Imagem: Divulgação / Embraer

A FAI e a NAA (do inglês, National Aeronautic Association) aferiram que estes voos são recordes de velocidade mundiais e nos EUA. Em todos os voos com recordes de velocidades, as aeronaves completaram a missão com reservas de combustível para operação NBAA IFR.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Embraer Executive Jets.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.