Piloto brasileiro que se ejetou do A-29 entra na estatística da Martin-Baker

A-29 Super Tucano da FAB – Imagem: Soboficial Johnson Barros / Força Aérea Brasileira – Edição: Aeroin

No último dia 13 de setembro, acompanhamos aqui no AEROIN o acidente do Embraer A-29 Super Tucano da Força Aérea Brasileira que, durante um treinamento, caiu sobre uma aérea verde próxima a Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

O acidente que destruiu completamente a aeronave felizmente terminou bem para o piloto que estava a bordo graças ao sistema de ejeção no assento do caça turboélice A-29, dispositivo fabricado pela empresa britânica de assentos ejetores Martin-Baker Aircraft.

A Martin-Baker é atualmente líder mundial em design e fabricação de assentos ejetáveis ​​e equipamentos de segurança para aviação há mais de 70 anos. A empresa familiar já salvou mais de 7.600 vidas, além de receber 11 prêmios. Atualmente, a empresa tem mais de 17.000 assentos ejetáveis instalados em aeronaves militares.

Ao acontecer um acidente, a empresa atualiza seu banco de dados sempre que o assento ejetável entra em ação e salva uma vida humana, e com a recente ocorrência em Campo Grande, a Martin totalizou 7657 vidas salvas.

Além da fabricante, a própria Força Aérea Brasileira (FAB) publicou uma foto do assento do piloto acidentado, destacando a ejeção bem-sucedida que salvou o militar. Ela ainda comentou que a manutenção dos assentos ejetáveis Martin-Baker das aeronaves da Base Aérea de Campo Grande é feita pelos militares da Seção de Armamento Aéreo do Grupo Logístico.

Ainda segundo a FAB, “o piloto que se ejetou na segunda-feira (13/9), após direcionar seu A-29 Super Tucano para uma região desabitada em Campo Grande/MS, já se encontra em casa, bem de saúde e, em breve, poderá retornar às atividades aéreas.”

A última ejeção na Força Aérea Brasileira registrada pela Martin-Baker em uma emergência foi em abril de 2019, quando, após falhas em um caça a jato AMX A-1, dois pilotos foram ejetados e sobreviveram no Rio Grande do Sul. Essa ejeção na época foi a de número 7599.

Como funciona um assento ejetável?

Basicamente, o sistema ejetável funciona com uma carga explosiva situada na parte inferior do assento, que, quando ativada pelo piloto, impulsiona o assento para fora da aeronave. Após a ejeção, um paraquedas é acionado para que o piloto tenha uma descida segura.

Veja abaixo uma ejeção de um assento da Martin, mostrando em câmera lenta o momento em que a carga explosiva é ativada, empurrando o piloto para fora da aeronave, com o paraquedas sendo acionado automaticamente em seguida:

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Ex-comissárias de voo da Alitalia fazem protesto tirando a roupa em...

0
O protesto de comissárias de bordo da extinta Alitalia, ocorreu em descontentamento aos acordos trabalhistas dos novos comissários da ITA.