Piloto de testes da Boeing será acusado por usar técnicas ‘Jedi’ com o 737 MAX

Os desdobramentos da investigação dos dois acidentes fatais com o Boeing 737 MAX podem culminar na prisão de um piloto de testes da fabricante americana.

Boeing 737 MAX durante voo de demonstração – Imagem: Oleg V. Belyakov / CC BY-SA 3.0 via Wikimedia Commons

A Procuradoria Federal dos EUA está indicando que acusará Mark Forkner, antigo piloto de testes da Boeing e responsável técnico pelos voos do 737 MAX, que após a certificação sofreu dois acidentes fatais em 2018 e 2019, vitimando 346 pessoas. Segundo o The Wall Street Journal, Mark sabia dos problemas com o MCAS e que ele não seria apresentado aos pilotos do 737 MAX, mas mesmo assim não teria agido contra essa postura e sua empresa.

Os crimes dos quais ele será acusado não foram revelados ainda, mas o piloto já está no foco das autoridades há algum tempo, já que em 2019 e-mails trocados entre ele e a FAA (Agência de Aviação Civil dos EUA) mostravam que o MCAS seria excluído do manual de voo e treinamento da aeronave, porque “estaria fora do envelope de voo normal do jato”.

Em outros e-mails, Mark afirmou explicitamente que estaria utilizando técnicas “Jedi” para que o treinamento fosse aceito pela FAA, fazendo uma referência à cena do filme da saga Star Wars, especificamente o “Episódio IV: Uma Nova Esperança”.

Na cena do longa, que você vê a seguir, Obi-Wan e Luke Skywalker são abordados por guardas (clones) e o Mestre Jedi faz um jogo mental para que os androids C3PO e R2D2 não sejam revistados. Desta maneira, ele evita a abordagem policial, fazendo uma manobra que ficou conhecida como “Truque Jedi” e que por vezes é referida sobre enganar autoridades.

Em janeiro deste ano a Boeing fechou um acordo de bilionário com a justiça americana para encerrar o processo de acusação movido pelo governo dos EUA. Neste processo foram citados dois funcionários como culpados, dentre eles Mark Forkner que, pelo fato do processo ter sido encerrado, não foi julgado.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Avião que levará armas de baixa letalidade para o Congo pousa...

0
No dia de ontem (26), publicamos com exclusividade a informação sobre uma operação especial da empresa aérea bielorrussa Rada Airlines