Início Variedades Piloto filma intenso fenômeno no para-brisa de um Boeing 767 em voo

Piloto filma intenso fenômeno no para-brisa de um Boeing 767 em voo

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Cena do vídeo registrado nesta semana, conforme você poderá ver a seguir

Um vídeo gravado nesta semana por um piloto no cockpit de um Boeing 767 capturou um exemplo bastante intenso de um fenômeno conhecido como “Fogo de Santelmo” ou “Fogo de Santo Elmo”, do termo em inglês “St. Elmo’s Fire”.

Na filmagem publicada na sexta-feira, 26 de março, pelo caçador de tempestades, cineasta, fotógrafo e vencedor do Emmy, Mike Olbinski, sua legenda descreve: “Absolutamente incrível captura do St. Elmo Fire na última noite pelo meu bom amigo Scuba_F16 (Michael Horlbeck). Ele estava pilotando um Boeing 767 em algum lugar sobre a Georgia e esse fenômeno climático maluco começou a acontecer. Nunca vi isso antes!”

Veja a seguir as imagens e, logo abaixo, entenda melhor o fenômeno.

Em termos técnicos, o Fogo de Santelmo é um fenômeno no qual um plasma luminoso é criado por uma descarga elétrica, que, por sua vez, foi causada pela ionização de um fluido, como o ar neste caso, ao redor de um condutor que carrega uma alta tensão. É uma região local onde o ar (ou outro fluido) sofre colapso elétrico e se torna condutivo (em condições normais o ar é um isolante elétrico), permitindo que a carga elétrica vaze continuamente através dele.

Em termos simplificados e aplicados à situação do vídeo, a aeronave acumula carga elétrica em seu exterior ao voar por uma região de grande presença de partículas eletricamente carregadas, como uma nuvem. Então, quando essa carga elétrica se acumula em um valor elevado em um ponto específico, ela consegue superar a característica isolante do ar e atravessá-lo até se descarregar em outro ponto de menor carga elétrica.

Esse deslocamento elétrico é tão energético que transforma, momentaneamente, o ar em plasma. E como esse plasma emite luz, é possível observar toda a trajetória por onde a carga elétrica se deslocou para se descarregar.

A intensidade do efeito, um brilho azul ou violeta ao redor do objeto, muitas vezes acompanhado por um som ou zumbido, é proporcional à intensidade do campo elétrico e, portanto, perceptível principalmente durante tempestades ou erupções vulcânicas, que são caracterizadas por alta atividade elétrica.

Note que, apensar do nome “Fogo”, nada está queimando. Trata-se, como descrito, apenas de plasma, o quarto estado fundamental da matéria, caracterizado como um gás ionizado (lembrando que os outros três estados são o sólido, o líquido e o gasoso).

Embora o fenômeno não seja algo tão raro no exterior do para-brisa de um avião comercial, ele não é tão comum acontecer com tanto intensidade quanto no vídeo, de maneira que acaba não sendo fácil conseguir gravar sua ocorrência.

Apesar de parecer algo assustador ou perigoso para algumas pessoas, trata-se apenas de uma movimentação local de cargas elétricas, não oferecendo riscos para a segurança do voo.

Veja a seguir mais alguns vídeos em que o fenômeno foi registrado em voo: