Piloto ganha honraria por serviço de Primeira Classe a profissionais da saúde

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Diante das suspensões massivas de tripulantes por consequência da crise aérea gerada pela pandemia da Covid-19, a comandante Emma Henderson, de Kinloss, na Escócia, teve uma ideia brilhante e acolhedora.

Emma Hederson, criadora e CEO do projeto

A piloto de linha aérea criou o Projeto Wingman, que até agora montou mais de 80 salas VIP, as ‘Wingman Lounges’, em hospitais em todo o Reino Unido, onde tripulantes de voo oferecem ao pessoal do sistema de saúde (NHS) uma experiência aérea de Primeira Classe em solo, conforme reporta o Belfast Telegraph.

Emma, que aceitou a demissão voluntária de seu cargo na EasyJet, é a CEO do projeto, que agora se tornou uma instituição de caridade registrada.

Apesar de sua ideia inventiva, ela admite que ficou surpresa com o MBE que recebeu do Reino Unido na última semana de 2020. Ela estava em uma reunião por vídeo-conferência quando recebeu a notícia, e teve que dizer que alguém estava batendo em sua porta para poder sair um pouco e chorar de emoção.

O MBE é um dos títulos de honra concedidos a pessoas em reconhecimento público de seu mérito, serviço ou bravura pelo Reino Unido. A sigla significa ‘Member of the Most Excellent Order of the British Empire’, ou seja, “Membro da Ordem Mais Excelente do Império Britânico”.

We’re ending 2020 with the most fantastic news possible! Our amazing CEO, Emma Henderson MBE, has been recognised in…

Publicado por Project Wingman em Quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

A inspiração para o Projeto Wingman surgiu do desejo de ajudar o NHS e a equipe da companhia aérea, uma vez que o primeiro grupo estava trabalhando em excesso durante o surto de Covid-19 e o último estava lidando com os efeitos das licenças e dispensas das companhias aéreas.

Emma comentou: “Quando comecei, a premissa era ajudar sempre que possível. No início, eu não sabia como poderíamos ajudar – apenas sabia que ajudaríamos. Basicamente, é a tripulação envolvendo nossos braços ao redor do NHS durante esta tempestade, o que beneficiou o bem-estar da tripulação também.”

O projeto foi inicialmente administrado por alguns ex-funcionários de companhias aéreas, a maioria dos quais estava em licença, e logo tinha 5.500 voluntários baseados nos mais de 80 hospitais no Reino Unido.

A comandante disse que a resposta positiva dos trabalhadores do NHS foi esmagadora, acrescentando: “Estávamos lá apenas para abraçar o NHS, fornecer um cobertor extra quente se você quiser na tempestade. A gratidão que recebemos por essas ações simples foi realmente avassaladora e muito humilde.”

Emma disse que só realmente percebeu o quão valioso era o projeto quando um amigo lhe disse que a primeira vez que sua filha, uma médica, conseguiu terminar um turno sem chorar foi quando um ‘Wingman Lounge’ foi montado em seu hospital. “Quando é alguém que você conhece pessoalmente, isso faz uma grande diferença”, disse ela.

O projeto continua a crescer e dois lounges já foram instalados em Nova York, além de ter sido lançado o Wingman Wheel, o mesmo serviço das salas VIP oferecido de forma itinerante em ônibus. Se você quiser conhecer mais ou acompanhar a evolução do Projeto Wingman, pode clicar aqui para acessar a página oficial no Facebook.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

As coisas mais bizarras que os passageiros levam na bagagem –...

0
Não se pode subestimar nenhum passageiro e é por isso que a segurança dos aeroportos é tão reforçada em vários lugares do mundo.