Piloto reclama de ter sido forçada a dormir no chão do avião após voo ser desviado

Uma piloto da SkyWest Airlines disse que foi forçada a dormir no avião depois que seu voo foi desviado para uma pequena cidade do Colorado que não tinha acomodações disponíveis em hotel. O fato aconteceu em 17 de julho durante uma viagem de Raleigh-Durham a Denver, de acordo com o Business Insider.

O voo UA-5332 era operado pela regional SkyWest Airlines em nome da United Express, e foi forçado a fazer uma série de curvas e voar em padrão de espera devido a fortes tempestades que impediam o pouso em Denver.

Após algum tempo e ao avaliar as alternativas, a comandante Jessica Taylor finalmente recebeu ordem da empresa para pousar na pequena cidade de Hayden, no Colorado, que tinha uma pista de pouso longa o suficiente para acomodar o avião, mas não muito mais.

Imagem: RadarBox

Horas mais tarde, a comandante Taylor parecia irritada e escreveu nas redes sociais: “Depois de voar mais de horas, minha tripulação (e eu) tivemos que dormir no avião… Sim, é isso mesmo, dormimos no chão do avião em Hayden. Esta é a primeira vez para mim, em mais de 15 anos de voo profissional. Eu pessoalmente nunca pensei que dormiria no chão de um avião como comandante de uma companhia aérea de 38 anos“.

SkyWest não confirmou o relato de Taylor, mas disse que não havia acomodações em hotéis em Hayden.

“Embora tenhamos trabalhado para fazer arranjos para levar nossos clientes aos seus destinos naquela noite, infelizmente a área próxima não tinha acomodações em hotel disponíveis devido às circunstâncias”, disse a SkyWest em um comunicado ao Business Insider. “Nós pedimos desculpas e a United entrou em contato com os clientes para compensar o inconveniente”.

Segundo dados obtidos junto ao RadarBox, a aeronave, um jato regional Embraer E170 registrado como N613UX, partiu para Denver na tarde seguinte e pousou quase 24 horas depois de deixar Raleigh.

O Embraer E170 tem cabine de primeira classe com poltronas reclináveis, mas a aeronave não foi feita para dormir, já que os assentos têm apenas 60 centímetros de largura e reclinação limitada.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Aeroporto de Guanambi-BA registra bom movimento e Azul já amplia seu...

0
A Azul terá mais um voo ligando Guanambi à capital mineira. Desde o início das operações, foi registrada alta nos embarque e desembarques.