Piloto YouTuber é suspenso após vídeo em que denuncia falta de segurança em aviões

Gaurav Taneja, comandante da AirAsia Índia foi suspenso de suas funções, segundo ele, por suas denuncias de que a aérea não estaria seguindo os procedimentos e regras de segurança estabelecidos pela Autoridade de Aviação Civil Indiana. Um vídeo do piloto no Youtube acabou viralizando e já chegou a mais de 5 milhões de visualizações.

Avião Airbus A320 da AirAsia Índia
Foto de Venkat Mangudi via Wikimedia Commons.

No último dia 14, Gaurav Taneja, comandante da AirAsia Índia, divulgou, em sua conta do Twitter que estava sendo suspenso, por “defender operações seguras em uma aeronave de passageiros”.

Taneja, que voa o Airbus A320 pela aérea indiana, alegou que a companhia havia violado vários protocolos de segurança da aviação, que ameaçavam a vida dos passageiros a bordo dos aviões.

Seu vídeo postado no YouTube “Motivo por trás da suspensão do meu trabalho como piloto” levou a “hashtag” #BoycottAirAsiaIndia no Twitter a 26.000 tweets na segunda-feira (15), segundo o Aeronautics Online.

Gaurav Taneja via Twitter.

Um porta-voz da AirAsia Índia apenas informou que os problemas que foram revelados estão sendo investigados internamente. O porta-voz também declarou que o piloto não foi suspenso por relatar problemas, mas devido a problemas disciplinares.

Vídeo no Youtube

Por meio do vídeo postado em seu canal @FlyingBeast, Taneja diz que a AirAsia Índia não estava seguindo certas diretrizes de segurança exigidas pela DGCA, após o início da pandemia de COVID-19 na Índia.

O piloto declarou: “Nos dias 22 e 23 de março, atrasei meu voo por cerca de 40 minutos, pois as diretrizes de segurança não estavam sendo seguidas pela companhia aérea”.

Taneja alega várias coisas. Em certo momento diz que a companhia aérea solicitou aos pilotos que fizessem 98% dos pousos com configuração “Flap 3”, o que permite economizar combustível. Ele disse que se um piloto não fizer 98% dos pousos no modo “Flap 3”, a companhia aérea considerará a ação como violação de seu procedimento operacional padrão (SOP).

Ainda no vídeo Taneja comentou: “em 4 de maio, recebi um aviso de que a empresa sofreu perdas por causa das minhas ações. Ficou claro que questões administrativas estavam direcionadas a mim. Ficou claro que eles estão descontentes comigo por apontar falhas de segurança.”

Ele também acrescentou que deu seu feedback à aérea, no entanto, diz que a empresa não tomou nenhuma ação. Essa inflexibilidade da empresa fez com que Taneja se recusasse a realizar um voo no dia 24 de março, uma vez que, a companhia não estava observando certas medidas de segurança que foram repetidamente sinalizadas por ele.

Hoje (19), já são mais de 5 milhões de visualizações e 75.000 comentários, com a maioria dos feedbacks positivos, apoiando o piloto.

Piloto, youtuber, vlogger, fisiculturista

Gaurav Taneja, além piloto de linha aérea comercial, é especialista fitness, YouTuber e vlogger diário, tendo grande presença nas mídias sociais de seu país. Seu canal no YouTube, Flying Beast, tem mais de 2,92 milhões de assinantes, e suas contas no Twitter e Instagram têm mais de 225.000 e 967.000 seguidores, respectivamente.

Além do Flying Beast, o piloto também administra o canal do YouTube, Fit Muscle TV, que conta com 1,47 milhões de assinantes. Enquanto o Flying Beast é um canal de vlogs de viagens, onde ele compartilha assuntos relacionados a viagens e outros assuntos relacionados à sua vida pessoal, o Fit Muscle TV é um canal de fitness, onde ele fornece dicas e orientações para pessoas que gostam de fisiculturismo e academia.

Taneja, de 34 anos, se formou em engenharia no ano de 2008, pelo Instituto Indiano de Tecnologia da cidade de Kharagpur, na Índia. Depois de se formar, decidiu seguir sua paixão e ingressou na aviação. Em 2011 ele iniciou sua carreira de piloto e em abril de 2019 trocou a IndiGo pela AirAsia Índia.

Sob investigação da DGCA

De acordo com o MoneyControl, a DGCA confirmou que a AirAsia Índia está sob investigação após as alegações de Taneja.

Através do Twitter, a Autoridade Indiana informou que: “a DGCA tomou nota das questões levantadas em relação a uma companhia aérea específica e sua abordagem quanto a segurança. A DGCA já iniciou uma investigação sobre os problemas sinalizados e deve tomar as medidas apropriadas com base nos resultados da referida investigação”.

De acordo com o porta-voz, “a AirAsia India mantém firmemente seu valor de “Safety Always” (Segurança Sempre, em português). A segurança de nossos clientes é de suma importância em todos os aspectos de nossas operações. A AirAsia Índia tem conhecimento do assunto em relação a um post de mídia social apresentado por um de seus funcionários “.

“Estamos cooperando com a DGCA sobre esse assunto. Como política, a AirAsia Índia não comenta assuntos relacionados aos seus negócios ou sobre seus funcionários”, acrescentou o porta-voz.

Aguardemos o resultado das investigações pela autoridade indiana a fim de entender com clareza o que ocorreu durante este episódio.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Aviões Embraer da Alitalia terão peças reparadas e fornecidas pela AerFin

0
A companhia italiana segue a todo vapor utilizando os aviões Embraer na volta da demanda aérea em meio à recuperação da pandemia.