Pilotos da Azul fazem protesto em aeroportos paulistas

Os pilotos da Azul Linhas Aéreas fizeram nesta quinta (19) e fazem nesta sexta (20) protestos em aeroportos paulistas reinvidicando a valorização da função.

pilotos azul

A manifestação de quinta-feira ocorreu no maior aeroporto da Azul, o de Viracopos. A de hoje, sexta-feira, está marcada para as 16h00 no Aeroporto de Congonhas. A manifestação é pacífica e não irá impactar a operação da companhia, segundo o Sindicato Nacional dos Aeronautas – SNA.

O motivo do protesto é descontentamento e repúdio quanto à desvalorização da função de copiloto na companhia e quanto às preterições na carreira. O SNA estima uqe mais de uma centena de tripulantes estiveram presentes na manifestação de Viracopos.

Os copilotos pedem que a empresa acabe com as contratações diretas de comandantes, prática recorrente da companhia, que tem trazidos prejuízos irreversíveis em suas carreiras.

Além disso, pedem equiparação salarial, haja vista que os copilotos da Azul recebem os menores salários na comparação com qualquer uma das congêneres brasileiras ou do mundo — e ainda têm a maior defasagem em relação aos comandantes.

Mesmo após diversas tentativas de diálogo e negociação com a direção da empresa, a resposta da Azul é de que o modelo de remuneração já era de conhecimento do grupo de copilotos e que não há intenção de fazer alterações.

Segundo o SNA, a Azul afirma que os copilotos da companhia têm melhores perspectivas de promoção do que o que se pratica nas congêneres, o que justificaria a defasagem. Porém, com as contratações diretas de comandantes, o grupo tem ficado extremamente prejudicado.

As contratações diretas ocorreram por um motivo: a falência da Avianca Brasil, que injetou no mercado dezenas de pilotos qualificados para pilotarem aeronaves Airbus A320.

Com isso, as companhias aéreas (incluindo LATAM e GOL) fizeram contratações dos profissionais da Avianca para os cargos de comandante e também de copiloto, o que gerou um mal-estar nos tripulantes brasileiros, apesar da apoiarem a solidariedade aos colegas da empresa falida.

Com informações do Sindicato Nacional dos Aeronautas

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.