Pilotos brigam com avião Embraer 175 que insistia em levantar o nariz até o estol

A tripulação de um jato Embraer 175 passou por momentos de tensão na última quarta-feira, 06 de novembro, quanto precisou brigar com a aeronave por conta de um problema que fazia o nariz levantar até o estol enquanto eles tentavam abaixa-lo para descer.

Avião Embraer 175 Republic Airways
Embraer 175 da Republic Airways

Segundo dados do The Aviation Herald, o E175 da companhia aérea regional Republic Airways, registrado nos Estados Unidos como N117HQ, estava operando para a American Airlines e havia decolado no voo de número AA4439 de Atlanta para Nova York-La Guardia, com 6 pessoas a bordo.

Não há informações se havia passageiros a bordo, ou se a ocupação tão baixa era apenas de tripulantes em um voo de transferência, mas o voo 4439 é executado de forma regular e diária segundo dados do FightRadar24.

Flight Radar 24 Voo AA4439
Dados do voo AA4439 no FlightRadar24

A aeronave estava na fase de subida após a decolagem da pista 09L de Atlanta quando a tripulação declarou que havia uma emergência, reportando um problema de disparo no sistema de trim (trimagem é o ajuste fino da posição das superfícies móveis de controle de uma aeronave).

A tripulação então parou a subida do Embraer 175 a cerca de 14.000 pés e posicionou-se para retornar à pista 10 de Atlanta. Porém, logo após serem autorizados a fazer a perna do vento para a pista 10 (perna do vento significa voar no sentido contrário ao pouso antes de fazer a curva para a direção da pista), eles reportaram que estavam em uma situação de estol (quando a aeronave levanta demais o nariz e perde velocidade até não conseguir mais se sustentar em voo).

Logo depois, o piloto acrescentou que não conseguia reduzir o ângulo de ataque (abaixar o nariz), mas que eles estavam tentando descer mesmo assim. O controle de voo ofereceu as pistas 08L, 10 ou 09R para o AA4439 e avisou que tiraria qualquer aeronave do caminho conforme a necessidade do E175.

A tripulação então comunicou que eles poderiam fazer uma volta e receber instruções de direção para pousar na pista 10. Mas, ao invés de descer, a aeronave começou a subir novamente em uma trajetória fora da direção da pista, e só depois de algum tempo voltou a descer.

Flight Radar 24 Voo AA4439 E175 Republic
Trajetória do Embraer 175 durante a emergência – Imagem: FlightRadar24

Os pilotos informaram que brigaram com a aeronave por um tempo e que agora haviam retomado o controle. A aeronave entrou na final da pista 10, e o controle de voo novamente ofereceu as pistas 10 ou 09R, liberando a aeronave para pousar em qualquer pista.

O Embraer 175 da Republic pousou com segurança na pista 10 cerca de 19 minutos após a decolagem e cerca de 15 minutos após a chamada de emergência.

O caso do descontrole do Embraer 190 da Air Astana

Cerca de um ano atrás, em 11 de novembro de 2018, um dos Embraer E190 da companhia aérea Air Astana protagonizou um grave incidente semelhante ao atual do E175 da Republic Airways, quando pousou em emergência em Beja (Portugal) após decolar de Alverca e sua tripulação brigar por horas com a aeronave por não conseguir controlar a mesma.

Avião Embraer 190 Air Astana
Embraer 190 da Air Astana

Naquela ocorrência, após investigações, o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) de Portugal chegou à conclusão que o E190 da Air Astana estava com cabos de comando de aileron invertidos no incidente. Os ailerons são as superfícies de controle localizadas nas asas, responsáveis pela realização de curvas.

As investigações mostraram que houve falhas nos procedimentos de manutenção da companhia aérea que resultaram na instalação errada dos cabos, e que a aeronave terminou com danos estruturais importantes nas asas, na fuselagem e nas superfícies de controle de voo.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.