Pilotos da Voepass cortam motor em voo após indicação de incêndio

O ATR-42 PR-PDS, quando chegou ao Brasil no ano passado

Um ATR-42 da VoePass Linhas Aéreas teve um de seus motores cortado em voo no último domingo, 19 de setembro, devido a uma indicação de problema pouco depois de sua decolagem.

Conforme dados disponíveis no banco de informações do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), a aeronave em questão, o ATR-42-500 registrado sob a matrícula PR-PDS, estava realizando um voo regular de passageiros de Parintins para Manaus, ambas cidades no estado do Amazonas.

A decolagem com 21 passageiros e 4 tripulantes ocorreu na noite do domingo, entretanto, durante a fase de subida, por volta das 20h54 do horário local, o bimotor apresentou um alarme de incêndio no motor #1 (motor esquerdo).

Com a indicação do possível problema, os pilotos realizaram o corte do motor afetado e retornaram para o Aeroporto Regional de Parintins, realizando um pouso normal e sem intercorrências.

Após o pouso, foi constatado que o motor em questão não tinha danos e nenhuma anormalidade, portanto, tratava-se apenas de uma falha de indicação.

Vale aqui ressaltar que a aeronave não teve o motor perdido durante o voo, assim como anunciaram vários veículos de imprensa, dizendo ainda que houve pânico no céu. Também vale destacar que todas as aeronaves possuem sistemas e equipamentos redundantes para prosseguirem com segurança até o pouso mesmo diante de problemas, além de tripulações bem treinadas para ocasiões adversas.

Foi o que ocorreu na situação deste incidente, no qual a tripulação desligou um dos motores e, com o outro motor em funcionamento, prosseguiu para um pouso seguro e sem incidentes, uma vez que a aeronave é plenamente capaz de voar com apenas um propulsor ativo.

De acordo com dados do FlightRadar, um ATR-72-500, registrado sob a matrícula PR-PDT, que havia chegado a Manaus vindo de Itaituba, voou em direção a Parintins logo após o problema com o ATR-42 e depois voltou a Manaus, portanto, possivelmente a aeronave foi utilizada como alternativa para buscar os passageiros.

ATR-72 da Voepass, igual ao utilizado como alternativa

O PR-PDS está na frota da VoePass desde o ano passado. Ele foi fabricado em 1998 e entregue originalmente para a mexicana Aeromar, tendo depois passado para a colombiana EasyFly antes de vir ao Brasil. Está configurado para 48 passageiros e pertence à empresa de leasing irlandesa Elyx Aviation.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias