Pintura discreta demais em avião da China Airlines causa revolta

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto: China Airlines (Divulgação)

Agradar a todos é algo sabidamente impossível e, mesmo que se opte por seguir uma linha menos polêmica, sempre haverá alguém achando que você precisa ser mais contundente. O contrário também é verdadeiro. É esse o dilema pelo qual passa a empresa taiwanesa China Airlines após ter sua “nova” considerada “discreta demais” por setores do público.

Como se vê pela imagem que abre essa matéria, a libré do triplo-sete segue uma tônica simples, com a palavra cargo posta em destaque, onde dentro da letra “C” se observa o mapa da ilha da Taiwan. Além disso, a empresa optou por manter seu nome “China Airlines” lá atrás na fuselagem, em letras pequenas e discretas.

Reunião na sede

Acontece que ativistas pró-independência de Taiwan esperavam mais e, portanto, protestaram na sexta-feira em frente à sede da China Airlines, em Taipei. Deputados do Partido Progressista Democrático (DPP) se juntaram ao coro e criticaram o novo design, vindo a pedir ao Ministério dos Transportes e Comunicações que force a companhia aérea para fazer mais mudanças.

A ideia do grupo é que cumpra-se o consenso obtido em meados desse ano para que a empresa aérea ressalte que não é uma empresa chinesa, incluindo a troca de nome para uma marca que destaque sua origem taiwanesa. Durante a pandemia, por ser confundida com uma empresa da China continental, a China Airlines acabou entrando na lista de empresas banidas de várias nações europeias, que temiam a disseminação do coronavírus, mesmo com Taiwan tendo sua epidemia controlada.

Reclamações

“O novo design ainda tem o “China Airlines” apenas um pouco menor na cauda, mas o avião não mostra nada sobre Taiwan. A empresa claramente não quer ter Taiwan como parte de seu logotipo”, disse Chilly Chen do Taiwan Republic Office ao Taipei Times.

O novo design não está de acordo com uma resolução aprovada no Comitê Legislativo de Transporte em julho, que solicitou que a empresa aérea removesse ou minimizasse “China” em seu logotipo e destacasse “Taiwan” ou imagens relacionadas ao país, disse Chen.

“O partido no poder e a empresa estão desrespeitando a vontade do povo? Eles têm muito medo da China colocar os holofotes em Taiwan? Ou eles têm vergonha de chamar nossa nação de ‘Taiwan?’”, perguntou.

O deputado Wang Ting-yu disse que o feedback público mostrou que “a maioria das pessoas não está feliz com o design”.

“Muitas pessoas disseram que ver o contorno de Taiwan dentro da letra C representava ‘Taiwan sendo engolido pela China’, o que não era aceitável”, disse Wang. “Em todo o mundo, as pessoas podem não saber como é o mapa de Taiwan e, portanto, este projeto não distingue a aeronave como vinda de Taiwan”, concluiu.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias