Nova pintura do A330 do Governo Britânico custará mais de $1 milhão de dólares

Um exemplar do Airbus A330 Voyager, operado pela Força Aérea Real (RAF), configurado para operações VIP do Governo Britânico, deverá receber em breve uma nova pintura, o que tem deixado contribuintes insatisfeitos e militares com dor de cabeça.

Avião Airbus A330 Voyager (MRTT) da RAF
A330 MRTT (Voyager) da RAF. Foto de Sam Wise via Wikimedia Commons.

O Airbus A330 Voyager é a versão militar derivada do Airbus A330-200 comercial. Oficialmente conhecida por A330 MRTT (Multi-Role Tanker Transport, em português Transporte Multi-Missão Tanque ), a aeronave começou a ser produzida em 2007 e foi criado para operar com a dupla capacidade de abastecimento aéreo e transporte aéreo de pessoal.

Entendendo o passado

Em 2008, o Governo Britânico fechou a compra de 14 unidades da aeronave. A primeira delas entrou em operação em 2012, com as demais sendo entregues até 2016. Desde então, as aeronaves são empregadas rotineiramente no abastecimento aéreo de aeronaves da RAF em países aliados, segundo a página da RAF.

Em 2015, conforme artigo da BBC, um exemplar da aeronave foi “retrofitado” pelo Governo Britânico para servir de transporte VIP de membros do Governo e da Família Real. Na época, o valor do retrofit custou 10 milhões de libras. O Governo declarou que a medida pouparia cerca de 775 mil libras anuais com despesas de fretamento de aeronaves pelos próximos 20 anos, no mínimo.

Um porta-voz do Primeiro Ministro Britânico disse na ocasião que o “uso principal” do avião ainda seria na função de reabastecimento de aeronaves, e que a ele manteria o padrão de cores da RAF, porém, 158 novos assentos seriam instalados e um sistema de “comunicações seguras” para o primeiro-ministro, na época David Cameron, seria providenciado.

A aeronave possuía um padrão de pintura todo cinza como os demais treze A330 MRTT recebidos pela RAF.

Nova pintura e críticas

Agora, o atual primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, aprovou que a aeronave utilizada por ele e membros da família real, tenha um aspecto um pouco mais representativo das cores do país, mais patriótico.

Seu gabinete informou nesta semana que o Airbus A330 oficial do governo está em processo de repintura, agora empregando as cores vermelha, branca e azul para “representar melhor” o país quando a aeronave viajar internacionalmente.

A repintura custará cerca de 900.000 libras, ou US$ 1,1 milhão, segundo o governo britânico.

O trabalho de pintura nas cores da Union Jack, como é conhecida a bandeira do Reino Unido, representa “um valor bem gasto”, declarou o governo, mas os políticos da oposição discordam, afirmando que o dinheiro deveria ter sido gasto para ajudar as vítimas do novo coronavírus no país, reporta a BBC.

Louise Haigh, do Partido Trabalhista, ao The Guardian declarou: “Quando as famílias em todo o país estão preocupadas com seu trabalho, saúde e educação de seus filhos, elas questionam as prioridades do governo, quando este gasta quase 1 milhão de libras redecorando um avião”.

Stewart McDonald, do SNP (Partido Nacional Escocês) disse: “Este é um uso totalmente inaceitável de fundos públicos, enquanto membros das forças armadas gastam seu próprio dinheiro em uniformes e kits, e o déficit no plano de equipamentos está na casa dos bilhões por vários anos seguidos”.

O secretário de Cultura do Governo, Oliver Dowden, disse em entrevista coletiva que a despesa é parte de um esforço para promover a Grã-Bretanha em todo o mundo.

Dor de cabeça para os militares

Uma razão para o esquema de cores cinza é que o uso duplo da aeronave significa que ela precisa ser camuflada, ser discreta. Segundo o The Guardian, fontes revelaram que, numa tentativa de minimizar a questão, a fuselagem da aeronave seria pintada de branco, com uma faixa azul, enquanto a deriva seria pintada com a bandeira do Reino Unido (Union Jack).

Isso faria com que a aeronave se parecesse com um avião da British Airways, mas seria uma dor de cabeça para os comandantes da força aérea, por ser facilmente identificável como o principal avião VIP do Reino Unido, destaca o The Guardian.

Um porta voz do Primeiro Ministro, segundo o The Guardian, confirmou que a aeronave está atualmente em Cambridgeshire para a execução da planejada pintura, acrescentando que o avião continuará realizando sua outra missão: de reabastecimento de jatos militares.

É o Royal Air Force One deixando os britânicos de cabelo em pé.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Avião Lufthansa Cargo Boeing 777F Human Cargo Care

LH-8406: Acontece hoje o primeiro voo comercial de carga movido a...

0
Nesse domingo, 29 de novembro de 2020, um voo cargueiro decolou pela primeira vez na aviação comercial, cujas necessidades de combustível