Poderia a Azul começar a voar de Campinas a Paris?

A330neo Azul

A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, administradora do Aeroporto Internacional de Viracopos, comunicou hoje à imprensa o cancelamento dos voos da Aigle Azur de Campinas para Paris, motivado unicamente por problemas específicos da empresa aérea operadora. Mas isso, todo mundo já estava sabendo.

O que vem de novo com a comunicação é que a concessionária aeroporto diz que já negocia a continuidade da rota para a capital francesa com outra empresa aérea, tendo em vista a alta taxa de ocupação dos voos, que durante o período de julho de 2018 a julho de 2019, foi de mais de 70%, com mais de 91 mil passageiros transportados.

Se há tanta gente assim viajando de Campinas a Paris, então a rota faz sentido, principalmente para o passageiro do interior do Estado de São Paulo ou de outros estados que não querem passar pela caótica e custosa capital paulista e que encontram em Campinas um bom pólo de conexões.

Agora, com a saída da Aigle Azur, toda essa demanda teria de ser atendida de outra forma, seja obrigando as pessoas a seguir até Guarulhos ou através de conexões a partir de Lisboa, já que a Azul possui um voo diário de Campinas para a cidade portuguesa. No entanto, para absorver um tamanho contingente, seria necessária a ampliação dos voos para Portugal e, ainda assim, continuaria a não atender ao maior desejo do passageiro, que é o voo direto (ou com o mínimo de conexões, para o caso dos passageiros que chegam a Campinas de avião).

Avião Airbus A330 Aigle Azur

A própria Azul já flertou algumas vezes com operações para Paris, inclusive o voo da Aigle Azur foi oferecido ao mercado como se da brasileira fosse, como nesse release de Julho de 2018. Isso até fez algum sentido por um tempo, já que a Azul foi a principal feeder line da Aigle por um bom tempo, até que a parceria acabou em Julho desse ano.

Da mesma forma, a frota de longa distância da Azul tem crescido. Até o final do ano, a empresa espera receber mais dois A330-900neo, totalizando onze na frota. Ora, se com os nove A330 atuais, as rotas internacionais são bem servidas, ao ponto de ficar um avião “de reserva”, com onze, esse ócio aumentaria.

Com essa demanda, boas conexões em Campinas, e com mais dois aviões na frota daria para fazer os voos para Paris com tranquilidade. Apesar do aeroporto de Viracopos não ter anunciado abertamente, sabendo que Campinas é o principal hub da Azul, com quem você acha que ela estaria negociando esse voo?

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.